quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

TIME DO SINTEAC SAGRA-SE CAMPEÃO DO TORNEIO INÍCIO DO CAMPEONATO DOS PROFESSORES


Título merecido


Dedé, Eurico, Evandro, Kbym, Adriano, Raimunfdnho e Maciel


Kbym foi decisivo


Aderlândio



Biologia - vice campeão


Matemática 2


Biologia


Pedagogia


Matemática

Começou nesta terça feira, 26 de janeiro, o campeonato de futsal dos professores que atuam nas escolas da Zona Rural de Tarauacá.
O campeonato, que tem patrocínio do Sinteac, reune cinco equipes divididas entre os cursos. O Time do Sinteac participa como equipe convidada.
Ontem aconteceu o torneio início e o time do Sinteac sagrou-se campeão. Formado por membros da direção da entidade e alguns associados, o time do Sinteac é um dos favoritos ao título do campeonato.
Os jogos acontecerão nos terças feiras à noite e aos domingos pela manhã.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

CONCURSO PÚBLICO JÁ!!!!


O Sinteac de Tarauacá, já vem a algum tempo reivindicando da Prefeitura Municipal a realização de um concurso público nas diversas áreas da administração municipal, estas por estarem lotados de contratos provisórios e prestadores de serviços que somente lucram com a mão-de-obra dos trabalhadores subtraindo seus direitos trabalhistas. O fato é que a prefeitura anunciou para os próximos dias a realização de um concurso público provisório e através de processo simplificado de análises de currículos. A atual administração é capaz de tudo para continuar controlando as pessoas através dos empregos provisórios. Por determinação do Ministério Público da União e do Trabalho através do Termo de Ajustamento de Conduta, todos os órgão públicos estão obrigados a realizar concurso público para preenchimento de vagas necessárias para administração pública. Estão fazendo valer o Art. 37 da Constituição Federal:
“ A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência...”
...“II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração...”
O Sinteac já se colocou inclusive para ajudar na discussão do concurso público, mas até agora não fomos procurados. "Jamais aceitaremos a realização de um concurso de natureza duvidosa, somente para legalizar os apadrinhados do prefeito e de seus apoiadores políticos",. "Estamos dispostos a entrar na justiça e de fazer uma grande mobilização pública, para que se realize um concurso público de forma honesta e verdadeira, sem falcatruas e que atenda realmente os anseios da população taraucaense e claro obedecendo a Constituição Federal. O povo de Tarauacá não agüenta mais tanta bandidagem e enganação”, ressalta o presidente do Sinteac João Maciel.

PISO SALARIAL

SINTEAC APERTA PREFEITOS POR NOVO PISO

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) promete realizar uma série de protestos contra os prefeitos que se negam a pagar o piso nacional para os professores com ensinomédio.
Segundo o presidente da entidade, Manoel Lima, a entidade entrará na Justiça para forçar os gestores a aceitarem o pagamento dos R$ 1.132. “Tentamos negociar no ano passado, mas muitos prefeitos se recusaram em aceitar um acordo, então vamos realizar protestos, podendo até organizar uma greve. A categoria deverá ainda entrar na Justiça para que todo o recurso da educação seja utilizado para pagar o que está descrito em lei”, afirmou o sindicalista.
Manoel Lima explicou que oito municípios já aceitaram pagar o piso, entre eles Rio Branco, Porto Walter e Brasiléia. “Temos outros prefeitos que negociaram o pagamento de até dois terços dos valores que são referentes a uma carga horária de até 40 horas. Agora, aqueles que não aceitaram um acordo terão que responder na Justiça”, respondeu o presidente do Sinteac.
Os prefeitos reclamam que não poderão oferecer o piso nacional, por conta da queda dos repasses nos valores do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
(Freud Antunes). A tribuna.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Agressão contra professor pode virar crime



Projeto da Câmara prevê detenção de um a quatro anos para os casos de agressão física


Uma lei pretende criminalizar a agressão contra professores, dirigentes educacionais, orientadores e agentes administrativos de escolas no país. O texto altera um decreto que trata, em parte, do crime de desacato ao funcionário público.
O projeto do deputado Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) prevê detenção de um a quatro anos para os casos de agressão física – nos casos de agressão moral, haverá multa ou detenção de três a nove meses de prisão. Se o agressor for menor de idade, ele deverá cumprir as penas estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.
A proposta define o Pnave (Programa Nacional de Prevenção à Violência contra Educadores), com previsão de implementação de medidas preventivas, cautelares e punitivas da violência contra professores, desde campanhas educativas a afastamento do aluno.
Como justificativa, Rollemberg cita pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) com o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo. O levantamento, feito com dados de 2006, aponta as agressões verbais entre professor e aluno como a queixa mais comum dos educadores. Segundo o deputado, “dentre os 684 professores entrevistados, 82,2% afirmaram ter sofrido alguma forma de violência física ou psicológica no exercício do magistério”.
Antes de ser votado no Plenário da Câmara dos Deputados, o projeto deverá ser analisado pelas comissões de Educação e Cultura; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Diretores de escolas participam de curso que vai promover inovação na prática de ensino

        Iniciativa beneficia jovens do Ensino Médio


Gestores de cinco escolas da rede estadual de ensino do Acre estão participando, no Rio de Janeiro, de uma qualificação promovida pelo Ministério da Educação(MEC) através do programa Ensino Médio Inovador.O evento, que teve início na última segunda-feira,18, tem como objetivo compartilhar as experiências exitosas de cada escola nesta etapa final do ensino básico, além de receberem orientações com relação a prática docente, entre outras ações .
Os diretores das escolas José Rodrigues Leite, Glória Peres, José Ribamar Batista, Dom Júlio Mattioli(Sena Madureira) e Djalma Batista(Tarauacá) foram acompanhados de 35 professores das respectivas unidades de ensino. A escolha das instituições contempladas com o curso foi devido às boas práticas aplicadas para o aprendizado dos jovens na modalidade. Ao todo, 1,6 mil gestores e professores de 345 escolas de 17 estados e do Distrito Federal estão sendo capacitados. A próxima etapa será realizada no período de 25 a 29 de janeiro.
O Ensino Médio Inovador é um programa que oferece apoio técnico e financeiro a redes estaduais de ensino para o desenvolvimento de ações de melhoria da qualidade do ensino público. Combinar formação geral, científica, tecnológica e cultural com a prática e estimular a inovação dos currículos estão entre os objetivos do programa.
Todas as ações do programa acontecem de forma articulada aos já em desenvolvimento no âmbito federal e estadual, com linhas de ação que envolve aspectos que permeiam o contexto escolar como fortalecimento da gestão dos sistemas, fortalecimento da gestão escolar, melhoria das condições de trabalho docente e formação inicial e continuada, apoio às práticas docentes, apoio ao aluno jovem e adulto trabalhador, infra-estrutura física e recursos pedagógicos e elaboração de pesquisas relativas ao Ensino médio e à juventude.


Escrito por Ernani Baracho, Assessoria SEE

Nova lei do Fies define regras mais brandas para financiamento estudantil


Adesão das instituições de educação superior ao Fies e o período de inscrição dos estudantes terão início com a publicação de portaria do MEC.
A taxa de juros do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) caiu de 6,5% para 3,5% ao ano para o saldo devedor dos contratos antigos, a partir da publicação da Lei nº 12.202, nesta sexta-feira, 15, pelo Diário Oficial da União (Seção 1, página 3). Para os novos contratos, essa redução já estava em vigor desde agosto de 2009, quando foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
O prazo para quitação da dívida, que era de duas vezes o período financiado do curso, agora é de três. Um estudante que tenha financiado um curso com duração de quatro anos, por exemplo, terá 12 anos para quitar a dívida. Outra inovação é a possibilidade de os formandos em cursos de medicina e de licenciaturas abaterem 1% da dívida a cada mês trabalhado, caso optem por atuar como professores da rede pública de educação básica ou como médicos no programa Saúde da Família.
A possibilidade de pagamento com trabalho vale para jornada de no mínimo 20 horas semanais para os professores e em especialidades e regiões definidas como prioritárias pelo Ministério da Saúde, no caso dos médicos. O estudante que já estiver em efetivo exercício na rede pública de educação básica ao ingressar no curso de licenciatura terá direito ao abatimento da dívida desde o início do curso.
Os formandos em medicina que optarem por ingressar em programas de residência médica credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e em especialidades definidas pelo Ministério da Saúde como prioritárias terão o período de carência estendido por todo o período de duração da residência. Anteriormente, a carência era de 18 meses após a conclusão do curso.
O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) passa a ser o agente operador do Fies. O financiamento pode ser requerido a qualquer momento pelo estudante interessado por meio de sistema eletrônico gerenciado pelo órgão. A adesão das instituições de educação superior ao Fies e o período de inscrição dos estudantes terão início com a publicação de portaria do Ministério da Educação para regulamentação do processo.
A Lei nº 12.202/2010 altera dispositivos da Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, que dispõe sobre o Fies.

Escrito por Assessoria de Imprensa da Sesu



Acre será o primeiro estado a ter 100% das cidades com cobertura de internet gratuita


No Programa Dois Dedos de Prosa desta segunda-feira, 18, o governador Binho Marques fala sobre o Floresta Digital. Um programa através do qual, todas as cidades do Acre terão acesso a um sinal de internet livre. “Este é um grande projeto, o Acre será o primeiro estado no Brasil a ter 100% de suas cidades digitais”.
Em alguns pontos da capital, como a Arena da Floresta, Praça da Biblioteca e no Mercado Velho já é possível acessar gratuitamente a internet. Até o final deste mês, o Floresta Digital será lançado, o que irá garantir que em 100 pontos de Rio Branco, por exemplo, as pessoas possam utilizar o laptop e acessar a rede. “Vamos garantir também que 100% da cidade tenha sinal gratuito. Quem tiver computador, vai ter acesso, basta comprar uma antena”.
A internet será aberta também nos parques da Maternidade e do Tucumã, no campus universitário, escolas, Fundação Hospitalar, Unidade de Pronto Atendimento. Além disso, a inclusão digital inclui ainda a disponibilização de vários pontos. Na Biblioteca Pública, por exemplo, são 80 equipamentos. As pessoas que não têm computador, não ficam de fora da inclusão, já que os 22 municípios contam com estrutura. São as Comunidades Digitais, uma espécie de Lan House pública.
“O governo está trabalhando para levar a internet para o meio da floresta, nas colônias, nas terras indígenas, não só nas cidades as pessoas vão poder acessar”.
O governador destacou ainda durante o Dois Dedos de Prosa, que o Floresta Digital foi apresentado ao presidente Lula e ao presidente Alan Garcia. “Eles ficaram interessados, porque isso faz uma mudança radical na vida das pessoas, especialmente dos jovens”.
Binho finalizou dizendo que o Governo do Estado está investindo na compra de um computador para cada aluno da escola pública do último ano do ensino médio, para que eles possam fazer um curso superior à distância. “Isto irá garantir mais um salto na melhoria da educação e na emancipação do nosso povo”.
Em alguns pontos da capital, como a Arena da Floresta, Praça da Biblioteca e no Mercado Velho já é possível acessar gratuitamente a internet. Até o final deste mês, o Floresta Digital será lançado, o que irá garantir que em 100 pontos de Rio Branco, por exemplo, as pessoas possam utilizar o laptop e acessar a rede. “Vamos garantir também que 100% da cidade tenha sinal gratuito. Quem tiver computador, vai ter acesso, basta comprar uma antena”.
A internet será aberta também nos parques da Maternidade e do Tucumã, no campus universitário, escolas, Fundação Hospitalar, Unidade de Pronto Atendimento. Além disso, a inclusão digital inclui ainda a disponibilização de vários pontos. Na Biblioteca Pública, por exemplo, são 80 equipamentos. As pessoas que não têm computador, não ficam de fora da inclusão, já que os 22 municípios contam com estrutura. São as Comunidades Digitais, uma espécie de Lan House pública.
“O governo está trabalhando para levar a internet para o meio da floresta, nas colônias, nas terras indígenas, não só nas cidades as pessoas vão poder acessar”.
O governador destacou ainda durante o Dois Dedos de Prosa, que o Floresta Digital foi apresentado ao presidente Lula e ao presidente Alan Garcia. “Eles ficaram interessados, porque isso faz uma mudança radical na vida das pessoas, especialmente dos jovens”.
Binho finalizou dizendo que o Governo do Estado está investindo na compra de um computador para cada aluno da escola pública do último ano do ensino médio, para que eles possam fazer um curso superior à distância. “Isto irá garantir mais um salto na melhoria da educação e na emancipação do nosso povo”.


terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Mais Educação: ensinando em tempo integral


      Pensando em aumentar as oportunidades de aprendizagem é que o Programa Mais Educação desenvolve atividades agrupadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica, no contra turno com alunos de escolas públicas.
  Esta é uma iniciativa do MEC para recuperar alunos do Ensino Fundamental que estão com notas baixas auditadas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), através da Prova Brasil. É uma forma de incentivo para alunos com baixo rendimento, problemas comportamentais e que se encontra em defasagem idade/série.
    As oficinas têm proporcionado um maior envolvimento dos estudantes nas atividades escolares. “A partir de 2008, quando o Mais Educação foi inserido nesta escola, houve uma diminuição no índice de reprovação, os estudantes apresentaram maior rendimento na frequência e aprendizado. Em 2008, tivemos 36 ocorrências policiais e em 2009 apenas uma, devido a integração do estudante com o ambiente pedagógico”, explica o gestor da Escola Antônia Fernandes, João Lima.
    Para qualificar os profissionais que ministram as oficinas do Mais Educação, a Secretaria de Estado de Educação em parceria com Pró-Reitoria de Extensão da Ufac, realizam capacitações direcionadas para cada área do conhecimento, cultura e lazer que são contempladas pelo programa.
   Os cursos oferecidos pelo programa são: letramento, matemática, futebol, karatê, taekwondo, pintura, desenho, teatro, informática, capoeira, hip hop, voleibol, recreação/lazer, rádio escolar, horta escolar, informática /tecnologia da informação, fanfarra, canto coral, danças, xadrez e agenda 21 orientado pela Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com Vida) que dialoga com as questões ambientais na escola.
     Em 2010, a meta é atender a 10 mil escolas nas capitais, regiões metropolitanas - definidas pelo IBGE - e cidades com mais de 163 mil habitantes, para beneficiar três milhões de estudantes. O investimento de 2010 no Acre para esta ação será de aproximadamente um milhão de reais.
    Este é um programa desenvolvido pelos ministérios da Educação, do Esporte, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Cultura, da Ciência e Tecnologia, do Meio Ambiente e a Secretaria Nacional da Juventude da Presidência da República. Como resultado dessa articulação, criou-se o Fórum Interministerial Mais Educação.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

ENSINO DE NOVE ANOS


CNE publica normas do ensino de 9 anos
Brasília - O Conselho Nacional de Educação (CNE) publica no Diário Oficial da União de hoje (15) resolução que complementa o elenco de medidas tomadas para a implantação do ensino fundamental de nove anos na educação básica. De acordo com parecer do Conselho, a criança que ingressar no ensino fundamental deverá ter seis anos de idade completos até o dia 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula. As crianças que completarem seis anos após essa data, terão de ser matriculadas na pré-escola.
 A resolução do CNE foi homologada pelo Ministério da Educação (MEC) e deverá ser enviada ao Congresso Nacional em forma de projeto de lei, para uniformizar as faixas etárias de ingresso no ensino fundamental em todo o país. Este ano termina o prazo de transição, iniciado em 2006, para que as redes de ensino implementem os nove anos.
 As crianças de cinco anos de idade, independentemente do mês do seu aniversário, que estiveram matriculadas e frequentando por mais de dois anos a Pré-Escola, poderão, em caráter excepcional, no ano de 2010, prosseguir para o ensino fundamental.
 Os sistemas de ensino terão de tomar providências complementares para se adequar às normas desta resolução, em relação às crianças matriculadas no ensino fundamental de oito, no período de transição, definido como padrão o ensino fundamental de nove anos.
 As escolas que matricularem crianças que completaram seis anos de idade após o início do ano letivo devem, em caráter excepcional, dar prosseguimento ao percurso educacional dessas crianças, adotando medidas especiais de acompanhamento e avaliação de seu desenvolvimento.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

SONHO QUE ESTÁ VIRANDO REALIDADE: Formação Superior dos Professores Rurais


































251 professores da Zona Rural dos Municípios de Tarauacá e Jordão iniciaram na segunda feira, dia 04 de janeiro, o quinto módulo do Programa Especial de Formação de Professores da Educação Básica  de Zona Rural.
O Programa Especial de Formação de Professores em Educação Básica de Zona Rural, uma conquista da Luta dos Trabalhadores em Educação através do Sinteac, é uma realização do Governo do Estado, Universidade Federal do Acre (Ufac) e Prefeituras Municipal.
O Pólo de Tarauacá atende também 40 professores de Jordão oferecendo cursos de História, Biologia, Pedagogia, Matemática, Letras e Geografia.
A diretoria do Sinteac visitou as turmas e em seguida se reuniu com os líderes de sala de cada turma para discutir sobre três assuntos importantes:
1) Fornecimento de xérox aos associados da entidade;
2) Realização do campeonato de futsal entre os cursos;
3) Pagamento da bolsa aos professores pela prefeitura;


A diretoria também conversou com a Professora Leila Oliveira, coordenadora da UFAC em Tarauacá.

ps: não fotografamos a turma do curso de Letras pois, não houve permissão do professor.