terça-feira, 2 de março de 2021

OS SINDICATOS E O CODEP TIRAM ENCAMINHAMENTO SOBRE A CONTRAPROPOSTA DO GOVERNO


A direção unificada dos sindicatos da Educação se reuniu, no dia de ontem (01), na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre, para analisar a contraproposta encaminhada pelo governo do Estado que sinaliza apenas com a antecipação do pagamento do Prêmio de Valorização Profissional (VDP) deste ano.

Os sindicalistas tiraram o encaminhamento de retornar à Casa Civil para que a equipe de negociação do governo possa esclarecer ponto a ponto das sugestões da reposição inflacionária e a correção das distorções nas tabelas do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR). “O documento encaminhado pela equipe econômica não diz nada, apenas apresenta sugestões, mas sem nenhuma garantia de concessão dos pleitos acordados com os sindicatos”, lamentou a presidente do Sinteac Rosana Nascomento.

A sindicalista disse que após esta reunião para tirar dúvida, o movimento sindical pretende convocar a categoria para deliberar sobre a paralisação das aulas remotas, como forma de pressionar a Secretaria Estadual de Educação (SEE) a apresentar uma contraproposta que atenda a reivindicação da categoria. O movimento é encabeçado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (Sinproacre), Sindicato dos Funcionários de Escola do Acre (Sintae) e Conselho de Diretores das Escolas públicas do Acre (Codep). “Não vamos abrir mão das nossas reivindicações”, declarou a presidente do sinteac.

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO GRANDE SINDICALISTA E VEREADOR JOSE SIDENIR.


É com grande pesar que a Diretoria do Sinteac de Tarauacá, lamenta profundamente e se solidariza à família e aos amigos do inesquecível e aguerrido sindicalista e vereador José Sidenir, que faleceu na madrugada desta terça-feira (1), em decorrência de complicações da Covid - 19.

A Deus pedimos que dê a Sidenir o merecido repouso eterno em seu reino. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames aos familiares, em especial aos filhos, esposa e aos netos.

#José Sidenir! Presente Sempre! 

A Diretoria do Sinteac de Tarauacá.

sábado, 27 de fevereiro de 2021

A presidente do sinteac a professora Rosana Nascimento, falando sobre a contraproposta do governo.

 

A presidente do sinteac a professora Rosana Nascimento, falando sobre a contraproposta do governo.

A proposta feita pelo governo, foi na reunião da última sexta-feira (26).

Governo pagará gratificação a servidores que ministrarem cursos na esfera estadual


Pela primeira vez na administração pública do Estado, o servidor que exercer a função de instrutor em cursos voltados para capacitação ou trabalhar na organização de bancas de concursos estaduais irá receber uma remuneração à parte, em mais uma ação do governador Gladson Cameli na proposta de valorização do servidor público.A gratificação será paga por hora trabalhada. Foto: cedida

A decisão foi publicada nesta sexta-feira, 26 de fevereiro, por meio do decreto n° 8.097, que dispõe sobre a Gratificação por Encargos de Cursos e Concursos (Gecc), para servidores da esfera estadual.

A gratificação será paga por hora trabalhada. O valor, conforme os limites estabelecidos no decreto, vai de R$25 reais a hora-aula para servidores de nível técnico, a R$ 50 reais, para servidores com titulação de doutorado.

“É um marco histórico na administração pública, uma valorização do profissional ‘prata da casa’, que desempenha um papel tão importante para o governo do Estado”, afirma Glauber Abecassis, chefe do Departamento de Formação e Capacitação do Servidor, da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

O departamento trabalha neste momento para disponibilizar o edital necessário para realização do cadastro dos servidores aptos a integrarem o sistema de formação do Estado do Acre. A previsão é de que até o fim de março esteja disponível.

As despesas para pagamento da gratificação serão custeadas com o orçamento do Fundo de Desenvolvimento de Recursos Humanos do Estado do Acre. A Seplag será responsável pelo gerenciamento do recurso.

Para fazer jus à gratificação, o servidor, em caráter eventual, terá que atuar como instrutor em curso de formação, de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública estadual e participar de banca examinadora ou de comissão de concursos.

Para Guilherme Duarte, diretor de Gestão de Pessoas, essa é uma ação de grande importância na valorização do servidor público. “Com o decreto, temos a oportunidade de realçar a importância dos servidores que contribuem como multiplicadores de conhecimento entre os próprios servidores”.

Vale destacar que, para ser considerado como atividade de instrutor, o servidor terá que ministrar aulas, proferir palestras ou conferências, realizar atividades de coordenação pedagógica, atuar como tutor e atuar em atividades similares ou equivalentes em eventos presenciais ou a distância. Atividades voltadas para servidores da própria unidade de lotação do ministrante não constarão como prática devida para recebimento da Gecc.

Não serão contemplados com a gratificação empregados de instituições particulares, servidores de instituições federais, municipais, aposentados e pensionistas de todas as esferas de governo e demais profissionais que não sejam servidores públicos estaduais ativos.

NOTA DE PESAR

 

É com extremo pesar que lamentamos o falecimento da professora Dulcina Ferreira, Servidora efetiva da rede pública de educação, a mesma faleceu, vítima da Covid-19, nesta sexta-feira 26, no hospital de Rio Branco .

Neste momento de tanta dor e tristeza, registramos nosso apoio e sentimentos de pesar aos familiares, amigos, colegas de trabalho e aos alunos e ex-alunos da querida professora.

Vá em paz amiga!

Sinteac de Tarauacá.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Repasse do FNDE para salário-educação cai 8,2% em 2021 no Acre


A estimativa do salário-educação para o exercício de 2021 foi publicada no dia 12 de fevereiro, com a previsão de R$ 12,5 bilhões. A portaria 68/2021 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) detalha a distribuição aos municípios.

Segundo o FNDE, o Acre receberá R$ 13.491.703,30, sendo que a rede pública estadual fica com R$ 7.990.157,45 e as redes municipais partilham R$ 5.501.545,85.

O valor destinado ao Acre em 2021 é 8,2% menor que o de 2020, quando o Estado recebeu R$ 14,6 milhões.

O salário-educação é uma contribuição social paga pelas empresas correspondente à alíquota de 2,5% calculados sobre a folha de pagamento. Segundo a legislação vigente, a arrecadação desse montante é feita pela Receita Federal e sua distribuição pelo FNDE.

Assim, a portaria divulga a estimativa anual de repasses e os respectivos coeficientes de distribuição das cotas estaduais e municipais do salário-educação no âmbito de cada unidade da Federação.

Segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) do total dos recursos arrecadados, 90% são divididos em 30% correspondente à cota federal e 60% da cota estadual e municipal. Esses 60% voltam ao Estado onde foram arrecadados e são distribuídos entre o governo do Estado e os Municípios de forma proporcional ao número de alunos matriculados na educação básica das respectivas redes de ensino, apurado no Censo Escolar do exercício anterior ao da distribuição.

Os 10% restantes, chamados recursos desvinculados do salário-educação, são aplicados pela União e, da mesma forma que os 30% da cota federal, destinam-se ao financiamento de projetos, programas e ações da educação básica.

Veja quanto seu município tem direito ao salário-educação:



ac24h.

Suspensão de prova de vida vai até abril e retornará a ser obrigatória em maio


A obrigatoriedade da prova de vida anual para beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) seguirá suspensa até o fim de abril, disse hoje (23) o presidente do instituto, Leonardo Rolim.

“A partir de maio, volta a ser obrigatório”, afirmou Rolim, que participou nesta segunda de uma transmissão ao vivo pelo canal da Secretaria da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, no YouTube.

A prova de vida anual, obrigatória para que aposentados e pensionistas do INSS não tenham seus benefícios bloqueados, está suspensa desde março do ano passado, em razão da pandemia de covid-19. A suspensão vem sendo prorrogada desde então.

Apesar da suspensão da obrigatoriedade ter sido novamente prorrogada, o INSS incentiva que os beneficiários regularizem a situação o quanto antes.

ac24h.

Prefeitura de Cruzeiro do Sul antecipa pagamento de servidores devido pandemia e alagação


A Prefeitura de Cruzeiro do Sul antecipou o calendário de pagamento dos funcionários da saúde e da educação, em razão da alagação e para evitar aglomerações em período de pandemia.

O pagamento de todos os servidores estava previsto para ocorrer na próxima quinta-feira, 25 de fevereiro. Nesta terça-feira, 23, recebem os funcionários da saúde. Na quarta-feira, dia 24 é a vez da educação, e na quinta-feira, dia 25, ocorre o pagamento da administração.

“Pensando nas dificuldades impostas a nossa população pela pandemia e por essa alagação histórica, estamos antecipando nosso calendário de pagamento. Esse é um momento difícil e sei que, mais que nunca, esse pagamento será muito bem-vindo”, pontuou o prefeito.

portal Tarauacá.

Jenilson Leite lança abaixo-assinado pedindo vacinação em massa no Acre


O deputado estadual, Jenilson Leite, lançou um abaixo-assinado pedindo a vacinação em massa da população acreana. A petição online já conseguiu mais de 3 mil assinaturas em menos de 24 horas.

“Nosso objetivo é que a população acreana seja vacinada massivamente e o mais rápido possível”, disse o deputado. Jenilson, que atuou na UTI do Pronto Socorro na primeira onda do covid-19, protocolou junto ao Ministério Público Federal, Casa Civil do Estado e Gabinetes da Bancada Federal Acreana, um relatório sanitário com detalhes do cenário em que o Acre vem passando, “Junto com o nosso relatório, precisamos que este abaixo-assinado chegue até o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da saúde, Eduardo Pazuello”.

O relatório traz o diagnóstico do aceleramento de novos casos e morte em decorrência da covid-19, surto de dengue, cheias dos rios e conflito migratório na fronteira.

“Este abaixo-assinado é muito importante, iremos encaminhar ao presidente do Brasil e ao ministro da saúde,” destacou Jenilson.

Para assinar a petição online, acesse http://chng.it/65ZrwhpwDq

(ASSESSORIA)

Mais transmissível, nova cepa do coronavírus pode provocar uma tragédia dentro das escolas


A questão é séria, pois não há sequer estudos que indiquem o grau de proteção da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca contra essa nova cepa que já começa a se alastrar por todo o Brasil. Volta das aulas presenciais pode agravar e muito o problema.

Sem vacinação em massa, todos correm perigo de contaminação. Imagem: Canva.

Educação | Mais transmissível, segundo cientistas, nova cepa do coronavírus identificada inicialmente em Manaus já começa a se alastrar de forma autóctone — sem "importação" — por todo o País, e autoridades sanitárias temem uma terceira onda da pandemia. Em pelo menos 12 estados há registros do problema.
Tragédia

Dentro das escolas, mutação do vírus pode provocar uma verdadeira tragédia, diz o biólogo paulista Túlio N B Santos, vez que, adverte, o ambiente escolar já é naturalmente muito propício à disseminação da doença.

"Como essa linhagem P1 é mais transmissível que as outras, nem é bom pensar no que pode acontecer com professores, alunos e demais profissionais do magistério sem vacina e dentro do ambiente escolar ", diz o pesquisador ao Dever de Classe Continua, após o anúncio.

Casos

Segundo O Globo (16), "o Ministério da Saúde informa que, além de Amazonas e São Paulo, essa mutação do vírus já atinge pelo menos Ceará, Espírito Santo, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima e Santa Catarina. E, segundo autoridades de saúde locais, há registros na Bahia e houve um episódio autóctone registrado no Rio Grande do Sul.
Incógnita

O Globo diz também que: "A própria eficácia dos imunizantes [contra essa nova cepa do vírus] é outra incógnita. Não há estudos que indiquem o grau de proteção da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca contra essa cepa. Continua, após o anúncio.

Lockdown, principalmente nas escolas

Diante da gravidade da situação, e da incerteza em relação às vacinas, a melhor forma de evitar uma contaminação em massa no País por essa nova cepa do vírus é adotar medidas rigorosas de distanciamento social. "É preciso voltar o lockdown, em um grau ou noutro, precisa voltar, principalmente nas escolas", diz o biólogo Túlio Santos. Após o anúncio, veja 10 razões para não reabrir escolas agora.

10 razões para não reabrir escolas agora

1. Professores e demais profissionais do magistério não foram incluídos sequer nos grupos prioritários para vacinação. O mesmo vale para os alunos. Ou seja, dentro do ambiente escolar, todos estarão muito vulneráveis.

2. Crianças, segundo os mais variados profissionais médicos, são vetores fáceis do vírus, pois geralmente não apresentam sintomas graves ou mesmo leves da doença. Dentro do espaço fechado de uma sala de aula, basta uma para contaminar muita gente.

3. Professores, em grande, parte, estão nos grupos de risco, pois muitos têm doenças respiratórias, diabetes e outras. Logo, podem se contaminar e até morrer com mais facilidade. E há também os demais profissionais do magistério, inúmeros também com doenças preexistentes. Continua, após o anúncio.


4. Pelas condições objetivas de nossas escolas, não é possível manter uma distância segura entre professores e alunos, principalmente nas salas de aula com mais de 30 estudantes. Leia mais sobre isto AQUI.

5. Escolas públicas e maioria das particulares não têm condições de atender aos protocolos sanitários de higienização e distanciamento dentro dos seus espaços internos. Em muitas falta até sabão. Há também o agravante das condições financeiras ruins das famílias de milhões de alunos que não têm condições de comprar sequer uma máscara.

6. O potencial de atendimento médico e hospitalar do País, no SUS ou rede privada, não é capaz de atender a população caso ocorra uma contaminação em massa ou pelo menos mais vigorosa do que já vimos até aqui. Continua, após o anúncio.

7. Os que defendem a reabertura geral de tudo, incluindo as escolas, o fazem a partir de interesses políticos e econômicos pessoais. Ou seja, pouco se importam com quem vai se contaminar e morrer.

8. É consenso no mundo todo, entre cientistas das mais variadas áreas médicas, que as escolas estão entre os locais mais propícios à disseminação da doença.

9. A terceira onda do vírus já se alastra por todo o Brasil. Manter escolas abertas é querer mais contaminações e mortes.

10. Preservar a vida de milhões de alunos, professores e demais profissionais do magistério vale mais que qualquer ano letivo ou interesses econômicos e políticos de quem quer que seja.

Piso do Magistério é Lei Federal e deveria estar sendo pago desde janeiro; professor não pode abrir mão


A previsão até novembro do ano passado era de uma correção de 5,89%. O presidente Bolsonaro adotou medida para cancelar tal correção, mas há ações na Câmara, MEC e Ministério Público Federal para que o direito dos educadores seja restabelecido.

Reajuste do piso é direito dos educadores. Foto: Agência Brasil.

Educação | O Piso Nacional do Magistério foi criado com a Lei Federal 11.738/2008, no segundo governo do ex-presidente Lula (PT). Legislação diz que reajustes devem ser aplicados todo 1º de janeiro para professores da educação básica pública de estados e municípios. Estava sendo assim desde 2010.

O tema, no entanto, anda meio esquecido pelos professores e até por muitos sindicatos da categoria, embora as aulas presenciais tenham recomeçado em várias cidades e estados do País. Retorno geral — no sistema híbrido ou remoto — está previsto para março.
Direito continua a existir

É um erro abandonar o reajuste do piso do magistério, pois o direito continua a existir, conforme veremos após o anúncio. Professor(a) não pode abrir mão.

Previsão de 5,89%

A previsão até novembro do ano passado era de reajuste de 5,89%. O presidente Jair Bolsonaro, entretanto, adotou medida para cancelar tal correção, mas há ações na Câmara, MEC e Ministério Público Federal para que o direito dos educadores seja restabelecido, conforme veremos após o gráfico que mostra a evolução dos reajustes e o ganho real acima da inflação para os educadores.

Reajuste do Magistério 2021

Previsão até 25 de novembro de 2020 - 5,89% de correção. Após essa data: 0% (zero).

Por quê? Porque o presidente Jair Bolsonaro publicou a portaria interministerial nº 03, em 25 de novembro de 2020.

O que dizia essa portaria e quais suas consequências? Essa portaria reduziu o custo aluno de R$ 3.643,16 para R$ 3.349,56. Com isso, o custo aluno de 2020 ficou menor que o de 2019, o que fez o percentual de correção de 5,89% cair para 0%.

Que medidas estão sendo tomadas? A CNTE — após descobrir indícios de ilícitos na portaria interministerial 03 — ingressou com pedidos junto ao MEC e ao Ministério Público Federal para que a situação seja revertida. Site da entidade, até à data e horário desta postagem, não diz se já recebeu respostas. Além disso, há pelo menos 14 projetos de decreto legislativo na Câmara que pedem que os efeitos dessa referida portaria sejam sustados. Nenhum até agora recebeu despacho, também até à data e horário desta postagem, conforme verificamos no site da Câmara. Continua, após o anúncio.

O que os profissionais do magistério podem fazer? No momento, é possível fazer pressão, principalmente pelas redes sociais. Caso as aulas retornem mesmo, é indicado iniciar uma Greve Geral.

Educação infantil deve ganhar no mínimo igual a docente do ensino superior, diz especialista


"Nenhum aluno será bem sucedido em seus estudos universitários se não tiver uma boa formação na Educação Infantil, o que envolve o trabalho dos profissionais que atuam diretamente nessa importantíssima etapa escolar. Por isso é preciso pagá-los melhor."

Educação Infantil é a base do estudante. Imagem: Canva.

Educação | A educadora carioca Cecília N P Costa — em conversa com o Dever de Classe via Messenger — defendeu no mínimo isonomia salarial entre os professores que atuam na Educação Infantil e o pessoal que leciona no Ensino Superior. Para tanto, entre outros argumentos, afirma:

"Nenhum aluno será bem sucedido em seus estudos universitários se não tiver uma boa formação na Educação Infantil, o que envolve o trabalho dos profissionais que atuam diretamente nessa importantíssima etapa escolar. Por isso é preciso pagá-los melhor."

Cecília Costa é mestra em Educação Infantil. Após o anúncio, veja entrevista completa.

Por que a senhora defende isonomia salarial entre o pessoal da Educação Infantil e o do Ensino Superior?

Porque é uma etapa importantíssima na vida escolar de todos os alunos. É na Educação Infantil que a criança tem de forma relevante os primeiros contatos com os conceitos de leitura, escrita, ciências, matemática, artes e outros conteúdos. É na Educação Infantil que a criança vai se familiarizar com a noção de escola e sala de aula. É na Educação Infantil que a criança vai desenvolver a coordenação motora, a linguagem e a sociabilidade. Por que um profissional que atua diretamente nessa área tem que ganhar menos que um professor universitário? É injusto. É incorreto. É não valorizar quem é responsável pela base de qualquer aluno. E não é só isso. Continua, após o anúncio.

O lúdico na Educação Infantil é responsável pela base inicial de formação da criança. Foto: arquivos Webnode.

O que mais a senhora destaca?

Fátima Guerra, PhD em Educação Infantil e professora da UnB — Universidade de Brasília — sintetiza muito bem a questão da Educação Infantil em matéria no UOL: "É o momento mais importante da educação, porque você trabalha a estruturação da criança. Se ela está bem estruturada, ela enfrenta a adversidade de uma forma muito melhor." (UOL - 30/09/2010). Ora, insisto na pergunta: por que um profissional responsável pela estruturação de uma criança tem que ganhar menos que um professor universitário? Onde está a lógica?

Também concordamos com essa isonomia. Mas muitos argumentam que os professores universitários têm mais títulos acadêmicos, por isso têm de ganhar melhor... (Ver após o anúncio).

Não estamos falando de títulos, que obviamente devem ser valorizados e incentivados para todos. Se uma professora da Educação Infantil faz, por exemplo, um mestrado, ela tem de ganhar o mesmo que seu colega mestre das universidades públicas. Se faz um doutorado, a mesma coisa. Isto incentivaria inclusive o pessoal da Educação Infantil a buscar mais especializações. Do jeito que é, quando alguém da Educação Infantil se estimula a cursar mestrado ou doutorado, ela faz é sair da área que atua, o que prejudica a base da educação. Se houvesse isonomia, haveria muito mais especialização acadêmica também na base do ensino.

PEC acaba gastos constitucionais com Educação e pode levar até a atraso de salários de professores


Medida atinge União, estados e municípios. Se aprovada, manutenção das escolas e ganhos dos profissionais do magistério podem ficar seriamente comprometidos. Saúde é também fortemente atingida.

Presidente Bolsonaro está empenhado em matar o serviço público. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Educação | Escolas públicas podem ir à falência. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga o auxílio emergencial em 2021 acaba também com a exigência de gastos constitucionais mínimos para educação.

Medida atinge União, estados e municípios. Se aprovada, manutenção dos estabelecimentos de ensino e salários dos professores podem ficar seriamente comprometidos, seja por congelamento por dois anos ou até mesmo por suspensão dos pagamentos. Saúde é também fortemente atingida.

Segundo O Globo (22), o relatório dessa PEC foi elaborado pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC). O parlamentar é um dos principais seguidores do presidente Bolsonaro no Congresso. O Senado marcou para a próxima quinta-feira (25) a sessão para votar a proposta. Continua, após o anúncio.

Acabar recursos constitucionais obrigatórios

De acordo com a Constituição, estados e municípios são obrigar a aplicar ao menos 25% de suas receitas resultantes de impostos e transferências na manutenção e no desenvolvimento da educação.

O presidente Bolsonaro e seus aliados no Congresso querem, com essa PEC do Auxílio Emergencial, acabar com essa obrigatoriedade constitucional, o que certamente trará problemas para a manutenção das escolas e até para pagar o salário dos profissionais do magistério. Continua, após o anúncio.

Além dos estados e municípios, corte também na União

Em relação à União, Bolsonaro e seus parlamentares de apoio querem fazer a mesma coisa. Desde 2018, a União é obrigada a investir no mínimo 18% mais o acréscimo da inflação do ano anterior medida pelo IPCA. PEC acaba com isso. Mais problemas para escolas e profissionais da educação.
PEC prejudica também a saúde

Medida atinge ainda de forma negativa a Saúde, ao também desobrigar União, estados e municípios de aplicar percentuais de suas receitas na área. No caso dos Estados e municípios, 12% e 15%, respectivamente. E 15% da receita mais o acréscimo da inflação medida pelo IPCA, no caso da União. Em época de coronavírus, imagine o que isto não pode significar em termos de hospitais públicos e salários de seus profissionais.

Comunicado sobre o acidente com o presidente do Sinteac/Tarauacá Lauro Benigno.


Na noite desta segunda-feira (22) de fevereiro, nosso presidente Lauro Benigno, sofreu um acidente, onde sua moto chocou-se com um carro, no cruzamento perto do semáforo pub em Tarauacá.

Apesar da gravidade do acidente e das fortes imagens, o nosso presidente Lauro encontra-se bem, esta em observação e repouso, encontra-se consciente, conversando e com poucas escoriações, não quebrou nenhum membro, e irá realizar exames mais completos na cabeça, pois houve uma batida.

Tão logo haja novas noticias estaremos informando.

Sinteac Solidário.


Hoje usamos nosso espaço para agradecer e reconhecer a participação dos amigos da educação, que muito contribuíram com a população taraucaense em especial nossos associados, durante o estado de calamidade publica, em virtude da alagação sofrida no município, onde inclusive abrimos e disponibilizamos nossa sede para distribuição de agua potável, e para abrigar algumas famílias que se encontravam submersas pelas aguas.


Nossos amigos da educação foram uns guerreiros, reconhecemos a participação da nossa diretoria dos amigos Raimundo Brasil, João Maciel, Eurico Paz e em especial nosso presidente Lauro Benigno que não mediu esforços e esteve à frente ajudando diuturnamente, agradecemos ainda aos anônimos que ajudaram  e que não quiseram se identificar.


Finalizamos nossa participação oferecendo um atendimento médico na sede da entidade, em parceria com o gabinete do deputado Drº Jenilson Leite, com entrega de medicamentos, consultas e demais, ao qual agradecemos de todo coração.