sábado, 4 de julho de 2015

Após fechar Terminal, professores não entram em acordo com governo e greve continua

Professores fecham o Terminal Urbano durante manifestação/Foto: Ac24horas

A onda de manifestos dos servidores da Educação que estão em greve continua em Rio Branco. Durante a manhã desta exta-feira (3,) um grupo se reuniu e fechou o Terminal Urbano, impedindo o tráfego de ônibus.

Os professores caminharam da Praça da Revolução e seguiram até o Terminal Urbano, onde fecharam a entrada do local até o final da manhã. Um engarrafamento de ônibus se formou na Avenida Ceará, congestionando o trânsito no centro da cidade.

De acordo com os manifestantes, o protesto tem como objetivo chamar a atenção do poder público para que novas negociações sejam marcadas. A categoria, que já está em greve há quase duas semana, reivindica reajuste salarial de 25%.

Além do reajuste, os servidores reivindicam antecipação para este ano do pagamento da VDP, que está previsto para 2016.

Após o manifesto, representantes do movimento grevista foram convidados a participar de reunião com membros da Secretaria de Articulação Institucional do governo.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre, Rosana Nascimento afirmou em entrevista à ContilNet que a conversa com a equipe governamental foi infrutífera, que eles não apresentaram nenhuma proposta, e, portanto, a greve continuará.

"Eles não trouxeram proposta alguma, nada mesmo. Claro que iremos continuar com o movimento grevista em busca dos direitos dos trabalhadores", disse.

Fonte: ContilNet

quarta-feira, 1 de julho de 2015

TARAUACÁ E FEIJÓ UNIDOS NA LUTA


A quarta feira em Tarauacá foi marcada pela manifestação dos Trabalhadores em Educação da rede estadual do município juntamente com o município de Feijó. O núcleo do Sinteac de Feijó trouxe uma caravana em 12 carros pequenos somando cerca de 60 pessoas.


Em greve, eles saíram pelas ruas da cidade com faixas, cartazes, gritando palavras de ordens e se aglomeraram em frente ao núcleo de educação, que é a representação do governo estadual em nossa cidade. Lá, houve manifestação dos representantes do sindicato nos dois municípios e a reafirmação da greve, que em Tarauacá e Feijó atinge 100% das escolas da rede. 


Com essas manifestações de ruas em Tarauacá, Feijó, Cruzeiro do Sul e Rio Branco, os líderes do movimento esperam que o governo possa reabrir um canal de negociações e acenar com uma proposta que contemple os anseios da categoria.


Enquanto os trabalhadores protestavam, no interior do núcleo de ensino, representantes do governo se reuniam com os diretores das escolas para pressionar pelo fim da greve. Segundo informações alguns diretores não cederam a pressão do governo e disseram que quem decide sobre a greve é os servidores. 


Em seguida o presidente Eurico foi chamado para uma conversa com um representante da secretaria de educação que foi enviado pelo governo para passar em todos os municípios para conversar com os gestores e com o sindicato. Na conversa ficou sugerido que o governo irá abrir uma canal de negociações com os representantes do Sinteac de Rio Branco e dos 22 municípios do estado.


Os núcleos do Sinteac nos municípios das regionais Tarauacá/Feijó/Jordão e Juruá irão propor uma reunião do Conselho de Representantes da entidade para discutir o andamento da greve, das negociações e as negociações.

terça-feira, 30 de junho de 2015

TARAUACÁ E FEIJÓ UNIDOS NA GREVE

O SINTEAC convoca todos os trabalhadores e trabalhadores em educação da Rede Estadual para uma importante assembleia regional Tarauacá /Feijó que acontecerá nesta quarta feira às 8 horas da manhã no auditório da entidade. 

Sua presença é muito importante para que tenhamos sucesso nesta luta. 

Depois haverá uma caminhada pelas ruas da cidade em protesto contra o governo estadual que não atendeu as reivindicações da entidade.

Agradece,

A direção.

COVOCATÓRIA DOS SERVIDORES DA REDE ESTADUAL

O SINTEAC convoca todos os trabalhadores e trabalhadores em educação da Rede Estadual para uma importante assembleia regional Tarauacá /Feijó que acontecerá nesta quarta feira às 8 horas da manhã na nossa sede. 
Sua presença é muito importante para que tenhamos sucesso nesta luta. 

Agradece, 

A direção.

CONVOCATÓRIA DOS SERVIDORES DA REDE ESTADUAL


O SINTEAC convoca todos os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da Rede Municipal para uma importante assembleia que acontecerá nesta sexta-feira, às 16h:30min, na nossa sede, tendo como pauta principal a DATABASE.
Não perca, pois sua presença é muito importante.

Agradece,



A direção.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sindicato mobiliza professores do interior para "grande" protesto em Rio Branco

grevemobilizacao
Último encontro dos grevistas reuniu dezenas de professores em frente ao Palácio Rio Branco/Foto: Selmo Melo/ContilNet Notícias

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac) anunciou que vai organizar na próxima semana uma grande manifestação nas ruas de Rio Branco para chamar a atenção do governo estadual e da sociedade para a greve da categoria, deflagrada há duas semanas.De acordo com Rosana Nascimento, presidente do Sinteac, o objetivo é mobilizar os servidores dos principais municípios e mostrar a força do movimento. “Iremos fazer uma grande passeata nas ruas da capital e logo definiremos um local estratégico para acamparmos”, afirma.

A sindicalista disse que o objetivo da mobilização é pressionar o governo estadual a atender as reivindicações, como reposição salarial de 20% e redução da jornada de 200 para 180 dias letivos.

Segundo o Sinteac, 100% das escolas no interior estão com as atividades paralisadas, sendo que, em Rio Branco, a paralisação afeta 56% dos estabelecimentos.

De acordo com Rosana Nascimento, a meta é ampliar a participação de escolas paradas na capital. Na terça-feira (23), o governo emitiu uma nota considerando a greve legítima, mas acusando o sindicato de ter deixado a mesa de negociações. O Sinteac, por sua vez, afirma que não vai fazer concessões ante as reivindicações da categoria.

Fonte: http://www.contilnetnoticias.com.br/

INFORME DA GREVE DO ESTADO


Nossa greve a cada dia está ficando mais forte. Ontem estivemos acampados na Assembléia Legislativa para garantir que no PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO estaria nossas propostas de garantia da valorização profissional, condições de trabalho e carga horária bem como formação continuada. Contemplou nossas propostas, inclusive os 100% dos royalties do petróleo para a educação. Não conseguimos somente garantir que no prazo de seis anos ocorra equiparação salarial com outros profissionais com a mesma formação no sexto ano de vigência do plano.

QUANTO NOSSA PAUTA DA GREVE: 
1. Reajuste de 25% nos pisos – precisamos que o governo diga quando e como teremos nosso reajuste.
2. Pagamento da VDP em 2015 – já garantimos na reformulação do PCCR em 2014 para os funcionários que serão avaliados em 2015 receberão em 2016. Porem, os professores já vinham recebendo, assim devem receber 2015. 
3. Piso dos funcionários profissionalizados – estamos lutando pelo piso do magistério para os funcionários que estão profissionalizados – Profuncionário (R$ - 1.438,33 para 30 horas.
4. 180 dias do ano letivo – o Estado decreto Calamidade Pública. A LDB garante neste caso.

Ate o momento o governo não nos deu resposta. Existe deliberação do governo de nos matar no cansaço. Estão usando todo poder de mídia para descaracterizar nossa greve e nossa luta.
NÃO PODEMOS ABRIR MÃO DE LUTAR POR UMA DEFINIÇÃO DO REAJUSTE. SE NÃO GARANTIRMOS AGORA PARA PELO MENOS 2016. VAMOS FICAR SEM REAJUSTE 2015, 2016 E 2017. O ANO DE 2016 É ELEIÇÃO, O GOVERNO NÃO FAZ NEGOCIAÇÃO, SENDO NOSSA DATA – BASE EM JUNHO NEGOCIA-SE EM 2017 PARA REAJUSTE EM 2018. SENDO ASSIM, A CATEGORIA FICA MAIS TRÊS ANOS SEM REAJUSTE. 
Não podemos deixar o governo continuar nos tratando com desrespeito, desrespeito com a nossa educação.
VAMOS À LUTA, NÃO VAMOS ABRIR MÃO.

Da assessoria de comunicação- Rio Branco

quinta-feira, 25 de junho de 2015

GREVE DA EDUCAÇÃO ESTADUAL ATINGE TODAS AS ESCOLAS DO MUNICÍPIO


A greve dos trabalhadores em educação da rede estadual em Tarauacá que teve início nesta quarta feira, atinge 100% (cem por cento das escolas). Ontem o professor Eurico Paz, presidente do Sinteac, fez uma visitas a todas as escolas. Pela manhã, um grupo de trabalhadores, com cartazes e faixas, foi até o Núcleo de Educação, órgão de representação do Governo Estadual no Município, para fazer o comunicado oficial da greve. 


Hoje , quinta feira, 25 de janeiro, os sindicalistas vão aos meios de comunicação  para explicarem para a sociedade, as razões da suspensão das aulas.


terça-feira, 23 de junho de 2015

SERVIDORES DA EDUCAÇÃO ESTADUAL ENTRAM EM GREVE NO MUNICÍPIO

Trabalhadores entra em greve
Servidores da Rede Estadual de Educação em Tarauacá, decidiram em assembléia realizada na tarde desta terça feira, 23 de junho, que a partir desta quarta feira (24), a categoria estará suspendendo suas atividades e deflagrando greve nas escolas da rede, juntando-se assim aos demais trabalhadores dos outros municípios no movimento estadual.

Presidente do Sinteac José Eurico e vice Lauro Benigno
Na quarta feira haverá nova reunião, às 9 horas, na sede do sindicato, onde deverão fazer uma caminhada até o núcleo de educação estadual, para entregar o documento com a decisão da categoria. O Sinteac apresentou uma pauta ao Governo do estado que não atendeu as principais reivindicações da categoria. A greve é para forçar o governo a apresentar uma contra-proposta que atenda os interesses dos trabalhadores.

A pauta é a seguinte:

REAJUSTE DE 25%, 
ELEVAÇÃO DOS PISOS DOS FUNCIONÁRIOS DE ESCOLA E DOS PROFESSORES POR FORMAÇÃO
REFORMULAÇÃO DA LEI DE GESTÃO
VALORIZAÇÃO DA EQUIPE GESTORA COM MAIOR EQUIDADE COM COORDENADORES ADMINISTRATIVOS, SECRETÁRIOS ESCOLARES, COORDENADORES DE ENSINO E GESTOR
EQUIPARAÇÃO DE 100% DOS PROVISÓRIOS COM OS EFETIVOS
CORREÇÃO DA NOMENCLATURA DOS COORDENADORES ADMINISTRATIVOS, SECRETÁRIOS ESCOLARES
SEXTA PARTE PARA OS COORDENADORES ADMINISTRATIVOS
DIREITO DAS PROFESSORAS CHEGAREM NA ÚLTIMA REFERÊNCIA
FORMAÇÃO CONTINUADA (MESTRADO E DOUTORADO)
REENQUADRAMENTO E VALE ALIMENTAÇÃO.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

CONVOCATÓRIA DELIBERATIVA

O Sinteac convoca todos os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da Rede Estadual para uma importante assembleia que acontecerá nesta terça-feira, às 16h:30min, na nossa sede, tendo como pauta principal as negociações com o governo.
Não perca, pois sua sua presença é muito importante para definirmos sobre a paralisação de nossas atividades!

Agradece,


A direção.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Entenda como ficam as novas regras relacionadas a aposentadoria integral

As regras de concessão de aposentadoria publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (18) vão mudar a vida do beneficiário da Previdência Social, cujo recolhimento e direitos estão ligados ao financiamento do INSS.

A Medida Provisória publicada indica uma nova fórmula de cálculo da aposentadoria que correlaciona a expectativa de vida da população e o tempo de serviço de cada trabalhador ligado ao regime da Previdência Social (INSS). Ela vale para fazer a conta de quanto o segurado do INSS vai receber ao se aposentar (que é feito, grosso modo, pela média dos valores de recolhimento ao longo de sua vida profissional). No regime da Previdência Social, o teto atual da aposentadoria é de R$ 4.663,75.



Aposentadoria por tempo de contribuição

Vale ainda o mínimo de 35 anos de contribuição para o homem e 30 anos para a mulher. No entanto, para ter direito à aposentadoria integral, além desse tempo será acrescida a idade do beneficiário. Para mulheres, a soma da idade terá de ser, no mínimo, 85, ao passo que para os homens a soma mínima é de 95. Essa pontuação mínima vai ganhar um ponto, de forma progressiva, nos anos de 2017, 2019, 2020, 2021 e 2022.

Assim, a alteração possibilita que o beneficiário do INSS que preencher o requisito para se aposentar por tempo de contribuição pode abrir mão do fator previdenciário e optar pela fórmula 85/95, mas terá acréscimo em 1 ponto em diferentes datas, a partir de 2017, o que atrasa um pouco mais o acesso ao benefício. O objetivo da medida é retardar as aposentadorias para evitar um déficit nos recursos da Previdência.

Os trabalhadores vão se aposentar com 85 e 95 anos?

Não! 85 e 95 é o número de pontos que eles deverão atingir para se aposentarem integralmente. O número de pontos é igual à idade da pessoa mais o tempo de contribuição com o INSS. (ex: uma mulher de 55 anos que tiver trabalhado por 30 anos já pode receber aposentadoria integral. O mesmo vale para um homem de 60 que tiver trabalhado por 35 anos). Esses números serão gradualmente aumentados até 2022, quando chegarão a 90 pontos para as mulheres e 100 para os homens.

Como passa a funcionar?

A partir de agora passa a existir um sistema de pontos, alternativo ao fator previdenciário, que combina a idade da pessoa com o tempo de contribuição com a Previdência. Até dezembro de 2016, mulheres passam a poder se aposentar de forma integral quando a soma de sua idade com os anos pelos quais pagou sua contribuição ao INSS for igual a 85. No caso dos homens, quando for igual a 95. A partir de janeiro de 2017 o número de pontos necessários para a aposentadoria integral será elevado gradualmente até chegar a 90 para as mulheres e 100 para os homens. 

Por que instituir essa progressividade do sistema de pontos?

Por que o modelo não pode ser estático, já que a expectativa de vida do brasileiro continuará crescendo. Vincular o sistema de pontos à expectativa de vida evita que a discussão sobre os valores tenha que ser feita a cada tanto. Além disso, estudos do Ministério do Planejamento mostram que, sem a progressividade, o Brasil teria um gasto extra de R$ 100 bilhões até 2026.

Como é o cálculo?

A idade e o tempo de contribuição previstas serão acrescidas em um ponto em diferentes datas: 1º de janeiro de 2017, 1º de janeiro de 2019, 1º de janeiro de 2020, 1º de janeiro de 2021 e 1º de janeiro de 2022. O objetivo é atingir a pontuação 85 (mulheres) e 95 (homens)

Na prática, uma mulher que completar 85 pontos em 2017 (51 anos de idade e 34 de contribuição, por exemplo) precisará de um ponto a mais para se aposentar, seja em idade ou por tempo de contribuição. Para se aposentar em 2019, vai precisar de mais um ponto, além dos 96 necessários pelo cálculo.

Professores

Professores que comprovarem exclusivamente tempo de exercício de magistério terão acrescidos cinco pontos à soma da idade com o tempo de contribuição.

Aposentadoria por idade

Não muda, continua valendo os 60 anos de idade para a mulher e 65, para o homem. No entanto, nesse tipo de benefício, o rendimento é de um salário mínimo.

A regra já está valendo?

A Medida Provisória entrou em vigor hoje, com a publicação no Diário Oficial da União, nesta quinta-feira (18).

O que é fator previdenciário?

O fator previdenciário surgiu no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1999, com o objetivo de inibir aposentadorias precoces e controlar gastos na Previdência, o que não aconteceu. Pelo contrário, as pessoas se aposentam mais cedo, a expectativa de vida cresce, portanto, o beneficiário aposentado tem condições de receber aposentadoria por mais tempo. O fator funciona como um pedágio multiplicador que inclui a expectativa de sobrevida, a idade e o tempo de contribuição do segurado. Ou seja, critérios atuariais que aumentam a correlação entre contribuição e benefício, sendo que quanto maior o tempo de contribuição e mais idade tenha o segurado no momento do requerimento da sua aposentadoria, menor será a incidência do fator previdenciário no cálculo do benefício.

Por que as mudanças são necessárias?

Para garantir uma Previdência sustentável e contas equilibradas para o futuro, de modo a assegurar a aposentadoria dos trabalhadores de hoje, mas também de seus filhos e netos.

Mas por que mudar as regras?

Diversos países estão revendo seu modelo de previdência por causa do aumento da expectativa de vida e da rápida transição demográfica que estão vivendo. As pessoas estão vivendo mais tempo, e recebendo aposentadoria por um período maior de tempo, o que aumenta os custos da Previdência. Ao mesmo tempo, no caso brasileiro, as taxas de fecundidade estão caindo, o que significa que nas próximas décadas haverá menos contribuintes para cada aposentado.

Hoje há mais de 9 trabalhadores contribuindo com a Previdência para cada pessoa que recebe aposentadoria. Em 2030 serão 5 na ativa para cada aposentado, e em 2050, 3. Em 2060, 2,3.

Nova fórmula de aposentadoria muda cálculo a cada dois anos

O ministro da Previdência, Carlos Gabas, explicou nesta quinta-feira (18) que a nova fórmula de cálculo da aposentadoria do governo leva em conta a transição demográfica da população brasileira, para ajudar a dar sustentabilidade à Previdência Social.

A fórmula somará o tempo de contribuição e idade para definir quando o trabalhador poderá pedir o benefício integral à Previdência e será corrigida a cada dois anos, para acompanhar as mudanças da expectativa de vida dos brasileiros.

“O conceito de pontos não pode ser estático, qualquer conceito usado como regra de acesso ou de cálculo da aposentadoria tem que levar em conta a transição demográfica, o aumento da expectativa de vida ou de sobrevida”, disse Gabas.

O ministro reconheceu que a nova regra ajuda a manter a sustentabilidade da Previdência apenas no curto prazo e disse que o governo continuará discutindo novas soluções no grupo criado para debater a aposentadoria com empresários e sindicatos. “Essa é uma solução momentânea, a solução definitiva deve ser discutida no Fórum Nacional de Previdência Social”.

* Com informações da Agência Brasil

quarta-feira, 17 de junho de 2015

ASSEMBLEIA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE ESTADUAL


Ontem(16), O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre - SINTEAC, Núcleo de Tarauacá reuniu os trabalhadores em educação das Rede Estadual para passar os informes sobre a Database deste ano. 

O professor Lauro Benigno, vice-presidente, abriu a reunião informando sobre as atividades de hidroginástica e sede social, assim como também a importância da retirada da carteira de sócio e de sua utilização. 

Após os informes administrativos, o presidente Eurico Paz agradeceu a presença de todos e fez uma explanação das pautas de reivindicações que o sindicato encaminhou ao governo do estado este ano:
- REAJUSTE DE 25%;
-ELEVAÇÃO DOS PISOS DOS FUNCIONÁRIOS DE ESCOLA E DOS PROFESSORES POR FORMAÇÃO; 
-REFORMULAÇÃO DA LEI DE GESTÃO; 
-VALORIZAÇÃO DA EQUIPE GESTORA COM MAIOR EQUIDADE COM COORDENADORES ADMINISTRATIVOS, SECRETÁRIOS ESCOLARES, COORDENADORES DE ENSINO E GESTOR; 
-EQUIPARAÇÃO DE 100% DOS PROVISÓRIOS COM OS EFETIVOS; 
-CORREÇÃO DA NOMENCLATURA DOS COORDENADORES ADMINISTRATIVOS, SECRETÁRIOS ESCOLARES. 
-SEXTA PARTE PARA OS COORDENADORES ADMINISTRATIVOS; 
-DIREITO DAS PROFESSORAS CHEGAREM NA ÚLTIMA REFERÊNCIA ;
-FORMAÇÃO CONTINUADA (MESTRADO E DOUTORADO); 
- REENQUADRAMENTO; 
- VALE ALIMENTAÇÃO.

Em resposta as pautas de reivindicações dos trabalhadores em educação, o governo disse que qualquer solicitação que concede vantagens, reajuste salarial, ou seja, qualquer solicitação que implica em aumento de despesa na folha de pagamento não há como atender. E as demais propostas que não implica em reajuste salarial carece um estudo mais acurado por parte da equipe técnica.
O presidente ressaltou que os trabalhadores em educação estão a 5 anos sem aumento real e que nesses doze últimos meses o  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), segundo o IBGE, já acumula uma alta de 8,17%.

"Nos dois últimos anos tivemos o aumento do preço da cesta básica, combustível, energia, etc, fazendo com que nosso  poder de compra diminuísse significativamente. Todos os gestores públicos  se agarram na crise econômica financeira para não dar reajuste salarial aos trabalhadores, mas na contramão várias pessoas foram nomeadas durante este governo com altos salários, e, nós trabalhadores em educação cada dia mais mais cobranças e menos valorização. O Governo para conseguir sobreviver à crise econômica deve começar CORTANDO os salários altíssimos de seus secretários e assessores, bem como reduzir os cargos comissionados e as funções gratificadas. Não aceitamos essa distribuição salarial como está. Por que tão poucos com muito e tantos com quase nada.disse o presidente.

Diretores e diretoras das escolas que estão com seus salários congelados e  tendo também várias perdas salariais estão sendo pressionados pelo governo para não aderirem a greve. 

Na última sexta feira, os trabalhadores em educação se reuniram em Rio Branco estabelecendo um prazo para paralisação, que seria hoje(17), respeitando as leis trabalhistas. Como poucos trabalhadores em educação compareceram a assembleia, no decorrer desta semana, a diretoria executiva do SINTEAC em Rio Branco, estará mobilizando a categoria, conversando com os diretores e diretoras das escolas para uma assembleia ampliada onde os trabalhadores em educação decidirão até o final da semana se paralisarão ou não suas atividades.

Na próxima semana haverá outra reunião para passarmos as informações e deliberamos ou não pela suspensão das nossas atividades.