quarta-feira, 26 de abril de 2017

GREVE GERAL 28/04 SEXTA.


O SINTEAC convoca todos os trabalhadores em educação e a população em geral para aderir à GREVE GERAL, que acontecerá em todo o país, nesta sexta-feira (28). Em Tarauacá será organizando um ato público pela manhã em frente a Câmara Municipal, a partir das 8h.

O movimento está sendo organizado por centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais em todo o Brasil contra os retrocessos representados principalmente pelas reformas previdenciária e trabalhista e terceirização irrestrita, que retiram inúmeros direitos dos trabalhadores. Várias categorias suspenderão suas atividades e participarão das manifestações.

Só os trabalhadores na rua poderão evitar o desmonte da previdência e o ataque aos direitos trabalhistas. VAMOS À LUTA!

terça-feira, 18 de abril de 2017

REPRESENTANTE DO SINTEAC PARTICIPA DA COMISSÃO DE ANÁLISE CURRICULAR DO CONCURSO N°002/2017.


Após participação da analise curricular do concurso N°003/2017 direcionado aos professores da zona rural. Iniciou-se também na manhã desta terça-feira (18), a análise curricular dos inscritos no processo seletivo simplificado N°002/2017para provimento de vagas temporárias nas varias secretarias municipais.

A equipe é composta por representantes do executivo municipal, setor público, poder legislativo e sindicatos, este ultimo representado pelo sindicalista João Maciel representando o Sinteac e Marnilsa Martins representante do Simtar.

Observe: este se trata do concurso de N°002/2017. Concurso esse que teve seu resultado nulo após diversos problemas acarretando inclusive o pedido de suspensão do mesmo pelo o Ministério Publico.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

SEJAM BEM VINDAS COMPANHEIRAS.



Bem vindo as novas associadas do nosso sindicato.
companheiras: Sandra Santos e Antônia Albuquerque

Professores agora têm direito à vacinação contra a gripe


Os professores da rede pública e particular agora também têm direito de receber a vacina contra a influenza, também conhecida como gripe. A campanha nacional de vacinação se inicia nesta segunda-feira (17) e segue até o dia 26 de maio.
Serão contemplados todos os professores, do ensino básico ao universitário, tanto da rede pública como da particular. “Para receber sua dose, basta comparecer a qualquer uma das 104 salas de vacina de Teresina e apresentar seu contracheque, comprovando sua profissão”, informa a diretora de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba.

A diretora informa ainda que a FMS está organizando uma parceria com as instituições de ensino superior públicas e privadas para que elas mesmas realizem a administração das doses em seu corpo docente.

A campanha segue até 26 de maio, com o dia de mobilização nacional marcado para o dia 13 de maio. Neste período, todas as 104 salas de vacina da capital estarão vacinando contra os tipos mais graves da doença, que são os tipos B, A H1N1 e A H3N2, com validade de ano. Este ano a meta é vacinar 90% do público-alvo, estimado em 178.981 pessoas na capital.

Os grupos prioritários são os maiores de 60 anos, as crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os trabalhadores da saúde, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Ontem (10), a FMS iniciou a imunização dos trabalhadores da saúde, que terão acesso à vacina em seus locais de trabalho, sejam UBS ou hospitais. “Os que trabalham em instituições particulares serão imunizados de acordo com cronograma já estabelecido pelos próprios estabelecimentos”, informa Amariles Borba.

“Com a vacinação, podemos reduzir de internações, complicações e mortes, especialmente nos grupos vulneráveis que estão sendo contemplados pela campanha”, diz Amariles Borba. “Existem evidências de que a vacinação reduz em pelo menos dois dias o tempo de hospitalização, um benefício substancial tanto do ponto de vista individual, quanto para a sociedade”, completa a diretora.

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém?contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Fonte: redacao@cidadeverde.com

Reforma Trabalhista destrói a CLT.


Temer quer o trabalhador brasileiro entre os mais pobres e explorados do mundo.
Para quem não acreditava que o golpe foi contra os trabalhadores e contra o Brasil, o projeto de reforma trabalhista não deixa dúvida. O objetivo desta reforma é promover uma completa flexibilização do mercado de trabalho, acabando com direitos que hoje estão garantidos em lei e que foram conquistados à custa de muitas lutas.
O projeto de lei propõe, de uma só vez:
- trocar o emprego “fixo”pelo “bico”,
- impedir os trabalhadores de recorrerem à Justiça do Trabalho
- e enfraquecer e matar os sindicatos.
A intenção é eliminar o emprego formal com registro em carteira, substituindo-o por  contrato precário, por prazo determinado, sem benefícios, jornadas de trabalho maiores do que 44 horas semanais, sem direito a hora extra, sem férias e sem descanso semanal remunerado.
Em algum tempo, os postos de trabalho atuais serão substituídos por vagas de emprego precário, terceirizado, temporário e em tempo parcial, com baixos salários e direitos reduzidos. Serão substituídos também por contratos de trabalho intermitente, sem jornada definida, no qual o trabalhador recebe apenas o pagamento pelas horas trabalhadas, sem saber quando e por quanto tempo vai trabalhar, nem quanto vai receber no final do mês. O empregado fica a maior parte do seu tempo à disposição do patrão, mas só recebe pelas horas efetivamente trabalhadas.
Se essa reforma de trabalho servil for aprovada, o povo brasileiro ficará sujeito às piores condições de trabalho, com baixos salários e sem benefícios, completamente exposto a exploração dos patrões e a uma vida de instabilidade e insegurança.
Essa é a cara do trabalho no Brasil, que o governo Temer e o Congresso querem impor aos trabalhadores e à sociedade. Esse será o triste futuro dos nossos filhos e netos num país de enorme desigualdade social e sem sindicatos para defendê-los.
São Paulo, 13 de Abril de 2017

sábado, 15 de abril de 2017

AUDIÊNCIA PÚBLICA VAI DEBATER REFORMA PREVIDENCIÁRIA NA VIDA DOS PROFESSORES BRASILEIROS.


O  impacto da  reforma da previdência social na aposentadoria dos professores motivou audiência pública na câmara dos deputados no dia 27 de abril. O  deputado Léo de Brito  que afirma que a reforma pode estimular a evasão escolar porque exige mais tempo de contribuição dos trabalhadores.

Na opinião do deputado as regras atuais devem ser mantidas: “é uma situação muito ruim para os professores da educação básica, que são mal remunerados, que estão em um ambiente de trabalho muitas vezes insalubre, e lidam com crianças e adolescentes e os conflitos que existem na escola”.
“sem falar na regra de transição que foi proposta, que na verdade não é transição. pode ter situações em que pessoas da mesma idade; algumas se aposentem com mais três anos de trabalho e outras terão que passar 20 anos com as atuais regras de transição”, acrescentou o deputado.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

SINTEAC REÚNE TRABALHADORES EM ASSEMBLEIA E DISCUTE DATA BASE DA CATEGORIA


Os trabalhadores em educação das redes estadual e municipal se reuniram em assembleia geral nesta quarta feira(13) para discutir o andamento dos processos de data-base da categoria junto aos governo do estado e município.

A reunião foi convocada pelo SINTEAC núcleo de Tarauacá e coordenada pelo presidente Lauro Benigno, com a participação da diretoria executiva constituída pelo professor Eurico Paz, João Maciel, Maria Bento, Raimundo Brasil, além da vereadora e professora Janaína Furtado.

DATA-BASE ESTADUAL

O aumento dos trabalhadores em educação da rede estadual foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) no dia 22 de fevereiro e a primeira parcela referente à negociação da data-base já consta em folha desde o mês de março deste ano.

O governo estadual concedeu reajustes de 19,48% aos docentes e de 23,75% aos demais trabalhadores em três parcelas com vigência em março de 2017, julho de 2017 e fevereiro de 2017. Os servidores da Saúde e Educação foram os primeiros a receber os reajustes devido ao tempo em que vêm dialogando com o Estado. 

A mudança no PCCR modifica principalmente a tabela de remuneração desses servidores, principalmente de acordo com suas classes.

Para os funcionários da educação, a lei determina que o servidor que exerce o cargo de coordenador administrativo e secretário e das unidades de ensino recebam o salário e uma gratificação fixada de acordo com a tipificação das escolas. Além disso, a cada 2 anos e 9 meses o servidor em atividade deve ser reinserido nas referências por tempo de serviço.

DATA-BASE MUNICIPAL

No que se refere as negociações no âmbito municipal, os sindicalistas disseram que apresentaram uma pauta ainda no início do mês de fevereiro e até a data da realização da assembleia não houve sequer uma resposta da prefeitura. A categoria decidiu conceder mais um prazo até a próxima semana, e, se a prefeitura não se manifestar favorável, poderão iniciar um movimento grevista.
Os servidores municipais estão reivindicando:

1-Reformulação do PCCR da categoria;

2-Reposição de perdas salariais referente os últimos 12 meses(10,67%)IPCA/INPC;

3-Redução da carga horária dos servidores de apoio de 40h para 30h;

4-Implementação do Regime Próprio de Previdência Social;

Além dos pontos citados anteriormente o SINTEAC exige o cumprimento das leis municipais que estabelecem o pagamento de férias proporcional a 45 dias aos docentes e o pagamento do abono salarial aos novos contratados que não estão recebendo o referido abono(R$ 100,00 para os funcionários de escola e R$ 200,00 para os professores) assim também como o pagamento retroativo.

Na próxima semana haverá nova assembléia para os municipais já com indicativo de paralisação.