terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Mais Educação: ensinando em tempo integral


      Pensando em aumentar as oportunidades de aprendizagem é que o Programa Mais Educação desenvolve atividades agrupadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica, no contra turno com alunos de escolas públicas.
  Esta é uma iniciativa do MEC para recuperar alunos do Ensino Fundamental que estão com notas baixas auditadas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), através da Prova Brasil. É uma forma de incentivo para alunos com baixo rendimento, problemas comportamentais e que se encontra em defasagem idade/série.
    As oficinas têm proporcionado um maior envolvimento dos estudantes nas atividades escolares. “A partir de 2008, quando o Mais Educação foi inserido nesta escola, houve uma diminuição no índice de reprovação, os estudantes apresentaram maior rendimento na frequência e aprendizado. Em 2008, tivemos 36 ocorrências policiais e em 2009 apenas uma, devido a integração do estudante com o ambiente pedagógico”, explica o gestor da Escola Antônia Fernandes, João Lima.
    Para qualificar os profissionais que ministram as oficinas do Mais Educação, a Secretaria de Estado de Educação em parceria com Pró-Reitoria de Extensão da Ufac, realizam capacitações direcionadas para cada área do conhecimento, cultura e lazer que são contempladas pelo programa.
   Os cursos oferecidos pelo programa são: letramento, matemática, futebol, karatê, taekwondo, pintura, desenho, teatro, informática, capoeira, hip hop, voleibol, recreação/lazer, rádio escolar, horta escolar, informática /tecnologia da informação, fanfarra, canto coral, danças, xadrez e agenda 21 orientado pela Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com Vida) que dialoga com as questões ambientais na escola.
     Em 2010, a meta é atender a 10 mil escolas nas capitais, regiões metropolitanas - definidas pelo IBGE - e cidades com mais de 163 mil habitantes, para beneficiar três milhões de estudantes. O investimento de 2010 no Acre para esta ação será de aproximadamente um milhão de reais.
    Este é um programa desenvolvido pelos ministérios da Educação, do Esporte, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Cultura, da Ciência e Tecnologia, do Meio Ambiente e a Secretaria Nacional da Juventude da Presidência da República. Como resultado dessa articulação, criou-se o Fórum Interministerial Mais Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário