segunda-feira, 31 de março de 2014

ESCOLA DA REDE MUNICIPAL ENFRENTA GRANDES DIFICULDADES PARA ATENDER A COMUNIDADE ESCOLAR

Escola Valdina Torquato do Nascimento
A escola é uma organização que sempre precisou mostrar resultados - o aprendizado dos alunos. Porém nem sempre eles são positivos. Para evitar desperdício de esforços e fazer com que os objetivos sejam atingidos ano após ano, sabe-se que é necessária a presença de gestores que atuem como líderes, capazes de implementar ações direcionadas para esse foco. 
Na comunidade escolar, é recomendável que essa liderança seja exercida pelo diretor. Na maioria das vezes, só o esforço da equipe gestora e funcionários não são suficientes para a garantia constitucional de uma educação de qualidade para nossas crianças e jovens.
A escola de ensino infantil e fundamental Valdina Torquato do Nascimento, fundada em 2006, é uma das escolas que está passando por grandes dificuldades em atender a comunidade daquela região, pois o número de alunos a serem atendidos cresceu consideravelmente. 
A escola localizada na Br 364 foi construída com apenas duas salas de aula, um banheiro, uma cantina e uma secretaria, onde no primeiro momento atendia a clientela de 37 alunos, sendo uma sala multisseriada 2ª, 3ª e 4ª series e outra com a 1ª série. 
Segundo o diretor Valter Nascimento de Souza, atualmente, a Escola atende 335 alunos de Ensino Infantil, Fundamental e EJA nos três turnos. "Quanto a infraestrutura escolar está deixando a desejar muito, haja visto que a mesma é constituída com apenas 4 salas de aulas, sendo necessário trabalhar com anexos, o que hoje está sendo o nosso maior desafio pois o trabalho é triplicado; o deslocamento da sede até os anexos, sendo um no Bairro do Corcovado com 2 turmas e outro anexo no Crais com 4 turmas. Com todos esses desafios, é a quarta escola com maior quantidade de alunos da Rede Municipal e a qualidade de ensino na mesma vem melhorando a cada ano, com melhoras significativas no IDEB". 
Valter afirma que já encaminhou vários ofícios solicitando providências em relação a estrutura física da escola, como a construção de um novo prédio que venha a atender as necessidades daquela comunidade, mas até agora, a atual administração não se sensibilizou sobre seus pedidos.
Além da falta de espaço, a escola enfrenta dificuldades também quanto ao acesso à água potável para os alunos beberem e para a preparação da merenda. O gestor e sua equipe, às vezes tem que se ausentar da escola e ir em busca de água para garantir o acesso e a permanência dos alunos na escola.








terça-feira, 25 de março de 2014

SINTEAC E SEME SE REUNEM PARA DEBATER SOBRE OS PROBLEMAS DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL


Francisco Souza e Eurico Paz
Nesta segunda feira, 24 de março, aconteceu a primeira conversa entre o Presidente do Sinteac Professor Eurico Paz e o novo Secretário de Educação do Município Francisco das Chagas de Souza, o Moço. 

Na conversa, o presidente da entidade passou todo o quadro da situação dos servidores públicos, as negociações e os acordos firmados em 2013 que não foram cumpridas pela prefeitura, e ainda, as principais bandeiras de luta da categoria para 2014.

Reformulação do PCCR e da Lei de Gestão são as principais propostas para serem implantadas já nessa data base. As correções salariais devem ser implementadas no reenquadramento da tabela dos servidores, na reformulação do plano de carreira dos profissionais da educação municipal. Será formada uma comissão representativa com participação dos trabalhadores e dos poderes públicos executivo e legislativo para debate e negociações sobre a pauta d edata-base 2014 da entidade. 

Negociações para 2014.
Francisco Sousa, o "Moço" é o quarto secretário de educação municipal em apenas um ano e três meses de gestão do Prefeito Rodrigo Damasceno. Luciene Calixto (Lula), Romário costa e Edmundo Maciel foram os três primeiros.

do Blog do Accioly
gomesaccioly@gmail.com

segunda-feira, 24 de março de 2014

INFORME


o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre - Sinteac Núcleo de Tarauacá informa aos trabalhadores em educação da rede municipal que a progressão funcional(mudança de letra) fora realizada no mês de fevereiro. Confira pela tabela como ficaram seus vencimentos. 

PROFESSOR NÍVEL I
LETRA
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
2013
1.008,36
1.058,78
1.111,72
1.167,30
1.225,67
1.286,95
1.351,30
1.418,86
1.489,81
1.564,30
1.642,51
1.724,64



PROFESSOR NÍVEL II
LETRA
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
2013
1.924,71
2.020,94
2.121,99
2.228,09
2.339,50
2.456,47
2.579,29
2.708,26
2.843,67
2.985,86
3.135,15
3.291,91



APOIO NÍVEL I
LETRA
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
2013
626,57
657,89
690,79
725,33
761,59
799,67
839,66
881,64
925,72
972,01
1.020,61
1.071,64


APOIO NÍVEL II
LETRA
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
2013
673,73
707,41
742,78
779,92
818,92
859,86
902,86
948,00
995,40
1045,17
1.097,43
1.152,30


APOIO NÍVEL III
LETRA
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
L
M
2013
741,10
785,56
832,70
882,66
935,62
991,76
1.051,26
1.114,34
1.181,20
1.252,07
1.327,20
1.406,83

quinta-feira, 13 de março de 2014

ANIVERSARIANTE DO DIA


Hoje é o aniversário da nossa secretária executiva Roneida Pires. Parabenizamos pela data importante e sua eficiência na condução da organização dos trabalhadores em educação. Além de você ser eficiente no seu trabalho, você é uma pessoa muito especial para nós. 
Parabéns e feliz Aniversário!

sábado, 8 de março de 2014

PARABÉNS!

 
Que traz a beleza e a luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas
Para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha o mundo com sua coragem
Que traz paixão no olhar
Mulher.
Que luta pelos seus ideais.
Que dá a vida pela sua família
Mulher
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço
Mulher,
Que chora e ri
Mulher que sonha...
Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas,
Cheias de mistérios e encantos!
Mulheres que deveriam ser lembradas,
amadas, admiradas todos os dias...
Para você, mulher tão especial...
Feliz dia Internacional da Mulher!


Uma homenagem da direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação – SINTEAC a 
todas as Mulheres

quinta-feira, 6 de março de 2014

CNTE convoca greve nacional

A CNTE convoca mobilização nacional para os dias 17, 18 e 19 de março. Trabalhadores em educação vão parar o Brasil para exigir o cumprimento da lei do piso, carreira e jornada, investimento dos royalties de petróleo na valorização da categoria, votação imediata do Plano Nacional de Educação, destinação de 10% do PIB para a educação pública e contra a proposta dos governadores e o INPC. 
Assista ao vídeo:
A mobilização foi anunciada pelo presidente da CNTE após, ao arrepio da Lei, o Ministério da Educação orientar a atualização do piso em 8,32%, com a publicação, no dia 18/12 do ano passado, por meio da Portaria Interministerial nº 16 (DOU, pág. 24), da nova estimativa de custo aluno do Fundeb para 2013, a qual serve de referência para a correção do piso salarial do magistério em 2014. 
O critério utilizado pelo MEC para atualizar o piso, em 2014, compara a previsão de custo aluno anunciada em dezembro de 2012 (R$ 1.867,15) com a de dezembro de 2013 (R$ 2.022,51), sendo que o percentual de crescimento entre os valores foi de 8,32%, passando o piso à quantia de R$ 1.697,37. Até então, a previsão de atualização era de 19%.
Assim como no ano passado, a CNTE questionou o percentual de correção do piso para 2014, uma vez que dados já consolidados do Fundeb, até novembro de 2013, apontavamm crescimento do valor mínimo de aproximadamente 15%. E isso levou a crer que o MEC agiu na ilegalidade, a fim de contemplar reivindicações de governadores e prefeitos que dizem não ter condições de honrar o reajuste definido na Lei do Piso, mas que, em momento algum, provam a propalada incapacidade financeira.
Se, em 2013, o calote no reajuste do piso foi de cerca de 8%, este ano ele ficará em torno de 7%, totalizando 15%, fora as contradições interpretativas do acórdão do STF sobre o julgamento da ADIn 4.167, que excluiu o ano de 2009 das atualizações e fixou percentual abaixo do previsto em 2010, conforme denunciado à época pela CNTE.
Diante da nova “maquiagem” que limitará o crescimento do piso, inclusive à luz do que vislumbra a meta 17 do PNE, a CNTE antecipou sua decisão de organizar grande mobilização nacional da categoria no início doano letivo, orientando suas entidades filiadas a ingressarem na justiça local contra os governadores e prefeitos que mantêm a aplicação dos percentuais defasados para o piso do magistério, como forma de contrapor os desmandos dos gestores públicos que têm feito caixa com os recursos destinados à valorização dos profissionais das escolas públicas.
Plano Nacional de Educação
O plenário do Senado Federal aprovou dia 17, a versão do PNE que seguirá para análise final na Câmara dos Deputados.
Em nota (clique aqui), a CNTE expôs sua contrariedade ao relatório final do Senado, apontando os pontos críticos que a Entidade lutará para que sejam revertidos na tramitação da Câmara dos Deputados, que deverá ocorrer no início deste ano.
Essa tramitação derradeira colocará frente a frente os substitutivos aprovados pela Câmara e o Senado, devendo prevalecer um dos dois textos. E a CNTE lutará pela manutenção das metas de alfabetização até o fim do primeiro ciclo do ensino fundamental, pela expansão das vagas públicas na educação profissional e no ensino superior, pela destinação das verbas públicas (10% do PIB) para a educação pública, assim como requererá a manutenção de artigos do projeto de lei e de estratégias do substitutivo da Câmara, a exemplo da que prevê a fixação de prazo para aprovação da Lei de Responsabilidade Educacional – a fim de que o PNE não se torne uma nova carta de intenções – e da que garante a complementação da União ao CAQ, além de outros pontos.

Fonte: http://www.cnte.org.br/