sexta-feira, 22 de março de 2013

Comissão de Negociação da Database da Educação reúne com Secretária Municipal de Educação

Na última terça feira(19) a Comissão de Negociação da Database composta pelo Sindicato, professores, funcionários de escola e gestores da rede municipal de ensino se reuniu com a Secretária Municipal de Educação Lucilene Nunes Calixto para debater sobre as propostas deste ano e que foram encaminhadas a SEME.
PROPOSTAS:  A categoria mais uma vez vai pedir que seja realizado concurso público efetivo para todos os cargos previstos no Plano de Cargos Carreiras e Salários, ampliação dos repasses de 25% para 30% dos recursos públicos do município para a educação, formação continuada para os professores e funcionários de escola, equiparação salarial dos professores de contrato provisório com os permanentes, reajuste salarial de 15% (reposição de perdas e ganho real), individualização do FGTS, auxílio transporte para os professores que trabalham em escola de difícil acesso, viabilização de mudança de regime de trabalho de celetista para estatutário mediante estudo detalhado, reformulação e revisão da Lei de Gestão e reformulação e revisão do Plano de Cargos Carreira e Remuneração.
A Secretária afirmou que as propostas encaminhadas a SEME são de interesse da atual administração atendê-las, mas que algumas delas requerem um prazo maior para serem atendidas, pois ainda estão em processo de organização na Secretaria Municipal de Educação.
Em relação aos descontos realizados no salário de alguns servidores da Rede Municipal, a Secretária disse que o pagamento foi feito de acordo com o ponto encaminhado a SEME e consta a função que cada pessoa está exercendo na escola e que as pessoas que se sentiram prejudicadas e se tiver realmente algum erro no pagamento podem passar no setor pessoal.
O presidente do Sinteac disse que vai abrir um debate com o prefeito para que esse problema dos descontos seja revisto e solucionado de forma que contemple as pessoas que ganham pouco e que estão em outras funções que requerem mais responsabilidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário