quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A educação quer 10% do PIB

Acontece hoje a 5ª Marcha Nacional em defesa e promoção da educação pública, com o tema “10 mil pelos 10% do PIB para a Educação”, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).  Os 43 sindicatos filiados à CNTE de todo o Brasil marcarão presença na mobilização que promete reunir cerca de dez mil pessoas na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
 Veja aqui as fotos da Marcha.

Na pauta, a pressão pela votação do PNE ainda este ano, o aumento do percentual do PIB de 10% para educação (hoje 5%), a aplicação plena da lei do piso salarial nacional para o magistério pelos estados e municípios, obrigatoriedade de planos de carreira e 1/3 da jornada para atividades de planejamento e formação.
A mobilização contará com o apoio de diversas entidades como CUT, UBES, UNE, Campanha pelo Direito à Educação, Sinasefe, Fasubra, entre outras. Convidados de entidades sindicais internacionais da Internacional da Educação (IE), IEAL Internacional da Educação para América Latina, CEA - Confederação dos Educadores Americanos, da CTERA/Argentina e de Colégio Professores do Chile também confirmaram presença.

Plano Nacional de Educação
A 5ª Marcha Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública de Qualidade acontece durante um importante momento para a educação no país. Ela é realizada às vésperas da aprovação do novo Plano Nacional de Educação (PNE), documento que irá prever as metas para a educação brasileira pelos próximos 10 anos e está em tramitação no Congresso Nacional.
Os educadores e a sociedade brasileira cobram do governo que o próximo PNE aplique as decisões da 1ª Conferência Nacional de Educação (Conae), realizada em abril de 2010. Entre as propostas está o aumento dos percentuais investidos na área como, por exemplo, a destinação de 50% dos recursos da camada Pré-sal. Para a CNTE, a aplicação de apenas 7% do PIB, previstos no projeto do PNE enviado pelo Executivo Federal ao Congresso, é insuficiente para atender aos desafios enfrentados pela educação pública.
Segundo Roberto Leão, presidente da CNTE, a pressão no Congresso e no Governo Federal é essencial para que a educação avance e os profissionais da área tenham seus direitos garantidos. “Consideramos essa Marcha decisiva para a aprovação dos 10% do PIB para a educação e para denunciar o não cumprimento do Piso Salarial pelos estados e municípios”.
A CNTE organizou um abaixo assinado em todo o país com 140 mil cartões postais de apoio aos 10% do PIB para a educação, que serão entregues à presidente da comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Fátima Bezerra (PT-RN), em audiência marcada para às 11 horas também nesta quarta.
Também estarão expostos em frente ao Congresso os trabalhos reunidos para a mostra cultural promovida pela Confederação. Nesta mostra, lançada no dia 16 de setembro, alunos de escolas públicas inscreveram desenhos, poemas, cordéis, qualquer manifestação artística sobre o tema “Por que 10% do PIB para a Educação Pública?”.
 

Fonte: http://www.cnte.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário