domingo, 12 de setembro de 2010

REPRESENTANTES DO SINTEAC DE TARAUACÁ PARTICIPAM DO 1º SEMINÁRIO ÉTNICO RACIAL DO VALE DO JURUÁ

Dr. Antônio (SECAD), Dr. John Carth(MEC), Almerinda(SINTEAC- Rio Branco) e Valdenízio(SINTEAC-Cruzeiro do Sul)

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre - SINTEAC em parceira com a SEE, UNDIME, FPEER e SECAD realizou quinta feira, 09 de setembro, o 1º Seminário de Educação das Relações Étnico-Raciais do Vale do Juruá em Cruzeiro do Sul. 
O Seminário que durou o dia todo teve por objetivo sensibilizar sobre a importância das relações étnico-raciais  e o combate ao racismo, assim como também a implementação da lei nº 10.639 que estabelece o ensino de cultura e história afro-brasileiras, no qual é determinado que tais conteúdos devem ser ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística, literatura e história brasileiras. E ainda estabelecer contato com as instituições de ensino e sociedade civil organizada do vale do Juruá. 
Participaram vários núcleos do Sinteac, Secretaria Estadual de Educação e Secretaria Municipal de Educação.Tarauacá esteve representado apenas por quatro membros da diretoria do Sinteac (professores: Eurico, João, José Leite e Flávio Santos).
O representante do MEC John Carth lamentou a ausência principalmente dos representantes das Secretarias Estaduais e Municipais de Educação de alguns  municípios no seminário tão importante pois tata-se da inclusão da história afro-brasileira e indígena no currículo escolar assim como também de um ambiente de debate que visa combater o racismo e implementar leis importantes para a sociedade. Segundo o representante do MEC todas as Secretarias de Educação já receberam os kits para trabalharem  as Relações Étnico-Raciais e a História da Cultura Afro-Brasileira nas escolas como preconiza as leis nº 10.639/03 e nº 11.465/08.
O Seminário tomou como encaminhamento final que todos os municípios façam seu fórum local para a discussão da implementação das leis e combate ao racismo.
Professores Eurico e Flávio(SINTEAC-Tarauacá)
Para o professor Eurico "é fundamental que se compreenda que as políticas afirmativas não são compensatórias.Elas permitem a essas pessoas buscar uma ascensão econômica e social que inverte a lógica que predominou durante quase quinhentos anos. Neste sentido, as políticas desenvolvidas pelo atual governo têm dado uma boa base para o desenvolvimento da população como um todo. Podemos citar o Programa Universidade para Todos (Prouni) como um exemplo forte deste tipo de ação."
 Professores João e Flávio(SINTEAC-Tarauacá) 
"Este encontro dá uma grande contribuição para mostrar que só vamos superar problemas no convívio social conhecendo por inteiro nossa real história, conhecendo o passado para construir nosso futuro", salientou o professor Flávio Santos.
 Participantes do Seminário(Palestantes, Sociedade Civil Organizada,  Professores e Gestores)
"Ainda falta reconhecer a divulgação para que a sociedade brasileira assuma a participação do elemento africano em todas as áreas possibilitando um referencial de identidade cultural e histórica para os negros brasileiros",  afirmou João Maciel.  
 Sindicalistas  presentes no Seminário
“Este momento serve para fortalecer os espaços de discussão e divulgar a implementação da Lei  que prevê a inclusão da história e cultura afro-brasileira nos currículos escolares tão importante para que possamos acabar com o preconceito que ainda existe e diminuir as desigualdades relacionadas as questões Étnico-Racial"  ressaltou José Leite.
 Representantes do SINTEAC de Taraucá(Professores: João, Flávio, José Leite e Eurico)

Nenhum comentário:

Postar um comentário