sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Mais de 700 escolas vão receber recursos para melhoras

Recursos do Proacre serão repassados para os gestores, que estão recebendo treinamento para aplicar bem o dinheiro.
 
Manutenção da rede física, aquisição de equipamentos e material de consumo são ações que fazem parte da gestão escolar. Para que tais procedimentos ocorram, a instituição necessita de recursos financeiros e do bom gerenciamento destes para que sejam bem aplicados. Foi com este objetivo que a Secretaria de Educação-SEE realizou nesta quinta-feira,11,um treinamento para 40 pessoas, de 5 cinco escolas rurais de Rio Branco contempladas pelo Subprojetos Escolares, uma ação integrante do PROACRE.
A capacitação ministrada pela equipe da UGP/SEPLAN (Unidade de Gestão do PROACRE) e coordenadores dos Subprojetos Escolares foi direcionada a gestores de escolas, coordenadores administrativos, presidente de Conselho Escolar, pessoal responsável pelo processo de licitação/contratação nas escolas, equipe da SEE envolvida no projeto (Diretoria de Gestão, Departamento Financeiro, Departamento de Prestação de Contas, Elaboração de Convênios, Departamento de Compras).
De acordo com o coordenador de Programas Especiais da SEE, Maurilho da Costa Silva, o planejamento será estendido para as outras 727 escolas da rede estadual e municipal de comunidades rurais inseridas na Zona de Atendimento Prioritário-ZAP e beneficiadas pelo Subprojetos Escolares para que elas também obtenham autonomia com relação ao trato dos recursos financeiros. “ Como estas escolas nunca receberam diretamente recursos, a iniciativa vai trazer a emancipação destas unidades, além de influenciar na qualidade do ensino, pois uma escola com boa infraestrutura física, o professor e o se sente mais estimulado”, explica.
A qualificação das pessoas que vão gerir o dinheiro repassado às instituições chegou num momento oportuno devido aos convênios já estarem sendo elaborados e assinados para serem transferidos às escolas. “Tudo que for executado com o dinheiro disponibilizado tem que obedecer às normas do Banco Mundial e legislações”, esclarece Maurilho.
Uma das escolas que irá receber o dinheiro do Subprojetos Escolares é a Major João Câncio, localizada no assentamento Itamaraty. Antes do Proacre, a unidade, que possui em seu quadro 168 estudantes recebia apenas 8 mil reais/ano para seu funcionamento, agora o valor passou para 60 mil reais, um aumento de mais de 130%. Os valores repassados nesta etapa para as escolas da zona rural serão usados no exercício 2010. “Desde que nossa escola foi construída, só pudemos fazer pequenos reparos, com a entrada de mais dinheiro poderemos melhorar o ambiente e adquirir equipamentos. Este programa vai dá uma mobilidade maior para a escola e mais qualidade de ensino”, comenta o diretor da João Câncio, Francisco Anísio de Souza.
Para que as escolas da zona rural fossem beneficiadas com os investimentos do PROACRE, a SEE desenvolveu no ano passado uma grande logística em parceria com as prefeituras dos municípios do Estado, no qual possibilitou que uma equipe de técnicos educacionais chegasse a comunidades isoladas e fizessem a classificação das principais necessidades de cada comunidade escolar. Depois da fase de levantamento de dados, os técnicos partiram para a criação dos conselhos e consócios escolares, um dos critérios exigidos pela lei, e por fim a elaboração dos planos de trabalho onde cada comunidade elegeu sua prioridades e metas.

PROACRE
O Programa Integrado de Desenvolvimento Sustentável do Acre (ProAcre) é uma iniciativa do Governo que visa levar serviços básicos e estruturantes às Zonas de Atendimento Prioritário (ZAPs) nas comunidades mais distantes. O programa atuará em várias frentes com ações envolvendo os campos da saúde, educação , produção nas Zonas de Atendimento Prioritárias (ZAPs) e comunidades isoladas do Acre.


[A informação é da agana]


Nenhum comentário:

Postar um comentário