sexta-feira, 27 de novembro de 2009

uma pressãozinha não faz mal a ninguem.

 NA PRESSÃO


O Sinteac, na ultima quarta-feira,   25 de novembro, realizou uma  reunião com os companheiros da educação estadual que não foram contemplados com os ultimos reajustes salariais conquistado por grande parte da nossa categoroa em negociações entre Sinteac e governo. 
Esses trabalhadores começam a ver uma "luz no fim do tunel", 
A secretaria, através do Nucleo de Educação, após saber o resultado das conversas que indicava uma possivel pararalisação, rapidamente pediu a todos que enviassem documentação e preenchessem os formulários pedindo suas gratificações.
Quanto ao pagamento desse reajuste  vamos aguardar.
O fato é que nossa reunião já rendeu frutos.
Por isso, sempre dizemos que o movimento organizado é muito importante, ou seja uma andorinha só não faz verão... aguardem e veremos os próximos resultados.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

BINGÃO 2009: DIA 19 DE DEZEMBRO NO CLUBE DO SINTEAC



SÁBADO - DIA 19 DE DEZEMBRO DE 2009
AS 15 HORAS
 NO CLUBE DO SINTEAC

EM BREVE, DIVULGAREMOS O REGULAMENTO


INCENTIVO AO ESPORTE: RACHÃO TEVE TOTAL APOIO DO SINTEAC



leia aqui

14º salário


Educação: servidores cobram 14º salário





Coordenadores pedagógicos das escolas do governo se reuniram na manhã de ontem, dia 24, na Secretaria Estadual de Educação para pedir o pagamento do 14o salário, uma espécie de prêmio de valorização profissional prometido à categoria.  Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado do Acre (Sinteac), Manoel Lima, os coordenadores deveriam ter recebido a verba em agosto.

Manoel Lima disse ainda que reunião entre o governo e os funcionários da educação aconteceu em junho deste ano. O pagamento, como explicou o presidente, será retroativo. “Estamos dando um prazo até a próxima terça-feira para que o governo mostre nova proposta”, acrescentou.

“Se os coordenadores pedagógicos não são valorizados, não podem ser valorizados, vamos fazer paralisação caso não sejam apresentadas novas propostas”, alertou o presidente do Sinteac.

O gerente do ensino médio da Secretaria de Educação, Josenir Calixto, disse que o governo vai respeitar o prazo dado pelo sindicato e será apresentada nova proposta que valorize a categoria dos coordenadores pedagógicos.




Décimo quarto
O 14o salário oferecido aos trabalhadores da Secretaria de Educação é um prêmio de valorização profissional e é o quinto item das propostas firmadas com o governo do Estado, como explicou Lima. (Gilberto Lobo)



FONTE: a tribuna

terça-feira, 24 de novembro de 2009

convocação

CONVOCAÇÃO

O Sinteac convoca todos os servidores em educação da rede estadual coordenadores, aposentados de laudo médico etc... Que não foram contemplados com ganho salarial na última negociação. Para uma reunião nesta quarta-feira dia 24 de Novembro, às 10:00h, no auditório do Sinteac.
Grato! A diretoria.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Igualdade de oportunidades: uma questão de consciência


O dia 20 de novembro - Dia da Consciência Negra - foi celebrado pela primeira vez em 1971 para mostrar quanto o país está marcado pelas diferenças e discriminações raciais. Celebrar esta data é manter viva na memória dos brasileiros as lutas do povo negro e a figura de Zumbi, símbolo de resistência, o herói que lutou pela liberdade. É também uma tentativa de remediar os erros do passado e celebrar a força da cultura afrodescendente.
Nesta Semana da Consciência Negra é importante refletir sobre o que se tem feito para a redução do preconceito no Brasil. A lei n° 10.639, que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileiras nas escolas de todo o país é uma contribuição importante e foi criada para a discussão sobre a igualdade racial, o reconhecimento e valorização da história, cultura e identidade dos descendentes africanos.Muitas escolas ainda não incluíram as matérias em seus currículos. Defendemos que é preciso acelerar a implantação da Lei como forma de acabar com as desigualdades. Todos os anos promovemos campanhas de valorização nas escolas públicas, através de nossos sindicatos filiados, para celebrar o dia da Consciência Negra. Inclusive elaboramos, neste mês, um jornal mural sobre o tema que foi distribuído às unidades escolares. O nosso objetivo como educadores, é levar à reflexão sobre a discriminação racial, valorizar a diversidade étnica, gerar debate, estimular valores e comportamentos de respeito.
Outra conquista a destacar é o sistema de cotas, que ainda causa polêmica. Muitas pessoas são contrárias às cotas para negros porque consideram um privilegio. Mas, elas são fundamentais para acelerar o processo de inserção do negro no exercício pleno de cidadania. As cotas representam a única forma de se resolver o problema da exclusão racial no curto prazo.
E com a chegada do Estatuto Igualdade Racial, que determina a implantação de cotas nas universidades, nos partidos políticos (reserva de pelo menos 30% dos cargos para candidatos negros) e nas empresas (pelo menos 20% nas empresas com mais de 20 empregados), acreditamos que ele irá ajudar o Brasil a promover mais rápido a igualdade de direitos.
Ainda há muito para ser feito no sentido de assegurar uma maior democratização - em termos raciais e econômicos e é papel do estado, com o apoio dos movimentos sociais, acelerar esse processo.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Governo bloqueia quase 1 milhão de benefícios do Bolsa Família


Segundo MDS, bloqueios foram feitos por falta de atualização cadastral. Programa de transferência de renda atende 12,4 mi de famílias no país.
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) informou nesta quinta-feira (19) que bloqueou o pagamento referente a novembro de 975.601 benefícios do programa Bolsa Família. Segundo o órgão, a medida foi tomada porque as famílias deixaram de atualizar os dados cadastrais até o prazo previsto de 31 de outubro. Os maiores números de benefícios bloqueados foram registrados nos estados de São Paulo (165 mil), Bahia (97 mil) e Minas Gerias (91 mil).
Um decreto presidencial publicado em março de 2008 estabelece que a cada dois anos o governo faça uma atualização cadastral dos beneficiários do Bolsa Família, como forma de fiscalizar os benefícios concedidos pelo programa. Essa foi a primeira vez que as famílias foram chamadas para atualizar os cadastros desde a edição do decreto. O objetivo da norma, segundo a assessoria do MDS, é evitar que famílias que tenham tido aumentos salariais continuem recebendo o benefício.
A orientação do MDS para as famílias que tiveram o pagamento bloqueado é que procurem o gestor municipal do programa para regularizar a situação, desde que se enquadrem dentro dos critérios do Bolsa Família. O programa é destinado ao atendimento de famílias em situação de pobreza, com renda per capita de até R$ 140.
Em janeiro de 2010, todos os inscritos que permanecerem com o benefício bloqueado terão o cadastro cancelado. A partir de fevereiro, o governo espera concluir o balanço oficial da quantidade de famílias brasileiras que deixaram o programa por terem saltado para uma faixa de renda superior à estabelecida como critério para o Bolsa Família.
Atualmente, o programa de transferência de renda atende 12,4 milhões de famílias em todos os municípios do país. De acordo com o MDS, o governo transfere mensalmente um total de R$ 1,1 bilhão para essa população.
Para ter acesso à bolsa, é preciso que a família mantenha os filhos na escola, a agenda de saúde em dia e o cadastro atualizado, com informações como renda, endereço e escola dos filhos.
“As famílias com benefícios bloqueados estão recebendo avisos nos extratos de pagamento de novembro para procurar a prefeitura municipal”, destaca nota divulgada pelo MDS. O texto informa ainda que os gestores municipais terão até 31 de dezembro para verificar a renda de 600 mil famílias que apresentaram dados diferentes, identificados no cruzamento com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2007.


Senado avança na aprovação de projetos que visam a combater a violência nas escolas





A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou, em caráter não terminativo, dois projetos de lei que têm por objetivo conter os altos índices de violência contra professores nas escolas.
O primeiro é de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) e classifica como violência qualquer ação ou omissão contra professores, decorrente da relação de educação que cause morte, lesão corporal ou dano patrimonial, praticada por alunos, pais, responsável legal ou terceiros.
O Projeto de Lei 191/09 garante ao docente proteção da autoridade policial e atendimento médico e realização de perícia no Instituto Médico Legal.
Ao agressor menor de idade, prevê a aplicação do disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Caso ele seja maior de idade, fica a cargo do Ministério Público tomar providências, tendo por base os dados do boletim de ocorrência ou relatório policial.
A comissão aprovou – também em caráter não terminativo, mas por falta de quorum – o Projeto de Lei 251/09, de autoria da senadora Marisa Serrano (PSDB-PR), que prevê a implantação de um serviço de monitoramento denominado Sistema Nacional de Acompanhamento e Combate à Violência nas Escolas (Save).
Além de servir para mapear as ocorrências de violência nas escolas, o Save será utilizado para divulgar medidas que evitem esse tipo de violência.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

TRANSPORTE ESCOLAR.

Transporte Escolar
Recursos de R$ 47,3 milhões chegam a estados e municípios
Estão à disposição das secretarias de educação recursos de R$ 47,3 milhões, correspondentes à penúltima parcela do ano do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate). Às secretarias estaduais e do Distrito Federal foram destinados cerca de R$ 2 milhões; às municipais, R$ 45,2 milhões. Com nove parcelas repassadas automaticamente a cada ano, o Pnate financia o transporte escolar de alunos do ensino básico residente em áreas rurais. O dinheiro deve ser utilizado na manutenção dos veículos e no pagamento de seguros e licenciamento. Com ele também podem ser pagos serviços contratados a terceiros para o transporte dos estudantes.
Este ano, o orçamento do programa é de R$ 478,2 milhões para beneficiar 250,1 mil estudantes da educação infantil, 3,6 milhões do ensino fundamental e 972,7 mil do ensino médio.
Os valores, detalhados, podem ser conferidos na página eletrônica do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
Lucy Cardoso
Quarta-feira, 11 de novembro de 2009.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

VEM AÍ O BINGÃO DE FINAL DE ANO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO




Previsto para dia 19 de dezembro o grande bingão dos Trabalhadores em Educação de Tarauacá.
a Diretoria do Sinteac está cuidando de todos os preparativos do evento.
Muitos prêmios serão sorteados entre os associados da entidade.


AGUARDEM NOVAS INFORMAÇÕES.

Comissão de Educação aprova projeto de criação do 14º salário para professores.






A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou proposta de criação do décimo-quarto salário para professores de educação básica, lotados em escolas públicas dos Estados, DF e municípios, em sua reunião desta terça-feira (10). O texto é autorizativo em relação ao Poder Executivo. 
Pelo texto substitutivo do senador Marconi Perillo (PSDB-GO) ao projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), receberão o décimo quarto salário os professores e funcionários de escolas que elevarem o Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) do estabelecimento educacional em pelo menos 50%, durante o ano letivo. Também farão jus ao benefício, os profissionais da educação de escolas de ensino fundamental que obtiverem Ideb igual ou superior a seis no ano. 
Ao defender sua proposta, Cristovam disse que a literatura empresarial conta com múltiplos exemplos de que o incentivo salarial representa um eficiente estimulador de produção. Assim, vincular o bom desempenho de professores e funcionários a uma vantagem pecuniária representa um bom primeiro passo para melhorar o nível dos educadores brasileiros, destacou o senador. 
Pelo PLS 319/08, o pagamento do benefício deverá ser realizado até o final do semestre subseqüente ao da publicação do resultado da avaliação do Ideb. A matéria segue para exame e votação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), em decisão terminativa.

Laura Fonseca / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)